Ato no Santander Cultural termina com bombas da Brigada e duas pessoas detidas

Revista ihu on-line

A virada profética de Francisco – Uma “Igreja em saída” e os desafios do mundo contemporâneo

Edição: 522

Leia mais

1968, um ano múltiplo – Meio século de um tempo que desafiou diversas formas de poder

Edição: 521

Leia mais

Fake news – Ambiência digital e os novos modos de ser

Edição: 520

Leia mais

Mais Lidos

  • A greve dos caminhoneiros e o Brasil 100% renovável e sem combustíveis fósseis

    LER MAIS
  • A irresponsabilidade de análises abstratas e tentações autoritárias nos extremos do espectro político

    LER MAIS
  • A reinvenção política no Brasil contemporâneo à luz das experiências latino-americanas

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

13 Setembro 2017

Ato organizado pela comunidade cultural porto-alegrense contra a suspensão da exposição “Queermuseu – Cartografias da Diferença na Arte Brasileira”, pelo Santander Cultural, após uma campanha capitaneada pelo Movimento Brasil Livre (MBL), chegou ao fim, no início da noite desta terça-feira (12), em meio a bombas de gás lançadas por um pelotão do choque da Brigada Militar. A manifestação, que iniciou às 15h30, transcorreu pacificamente. A intervenção da Brigada ocorreu no início da noite, quando integrantes do MBL voltaram até o local e, segundo relatos de manifestantes, começaram a fazer provocações.

A informação é publicada por Sul21, 12-09-2017.

Segundo o tenente-coronel Eduardo Amorim, comandante do 9° Batalhão da Polícia Militar, havia dois grupos na praça Alfândega, que ele denominou de “grupo A” e “grupo B”, quando ocorreu uma briga entre os dois. “O grupo A tinha menos pessoas que o grupo B. O pessoal (da Brigada) já sabia quem eram essas pessoas do grupo A, separou e afastou elas. No momento em que afastou, o grupo B veio pra cima da Brigada. Em um determinado momento, jogaram algo no Batalhão de Choque. Para evitar o uso de um bastão ou algo neste sentido, utilizaram um instrumento de menor potencial ofensivo que é a granada para dispersar as pessoas e evitar um confronto”. O “grupo A”, referido pelo tenente-coronel, era formado pelos integrantes do MBL.

Ainda segundo Amorim, neste processo, duas pessoas foram detidas. “Algumas pessoas começaram a jogar pedras nos brigadianos que conseguiram identificar duas delas, abordar e tirar. Foi feito um termo circunstanciado por resistência e desobediência e depois elas foram liberadas”.

A reportagem do Sul21 registrou o momento em que dois manifestantes foram detidos pela Brigada. O segundo detido estava registrando, com uma câmera, a detenção da primeira pessoa pelo choque da Brigada e questionou quais eram os motivos da mesma. O vídeo também registra o momento em que um brigadiano lança spray de pimenta contra um grupo de jornalistas que tentou se aproximar do local onde ocorreram as detenções.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Ato no Santander Cultural termina com bombas da Brigada e duas pessoas detidas - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV