Oficina sobre economia solidária no Vale do Sinos

Revista ihu on-line

Henry David Thoreau - A desobediência civil como forma de vida

Edição: 509

Leia mais

Populismo segundo Ernesto Laclau. Chave para uma democracia radical e plural

Edição: 508

Leia mais

Gênero e violência - Um debate sobre a vulnerabilidade de mulheres e LGBTs

Edição: 507

Leia mais

Mais Lidos

  • 'Estamos frente a um sistema de agiotagem que paralisou o país'

    LER MAIS
  • Reforma aproxima trabalhadores de condições análogas à escravidão, diz historiadora

    LER MAIS
  • Mais de 400 mortos e 600 desaparecidos devido a inundações na Serra Leoa

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Por: João Conceição e Marilene Maia | 11 Agosto 2017

Na próxima terça-feira, 15 de agosto, o Observatório da realidade e das políticas públicas do Vale do Rio dos Sinos – ObservaSinos, programa do Instituto Humanitas Unisinos, promoverá a oficina “Economia Solidária e as políticas públicas no Vale do Sinos”. 

A Oficina tem o propósito de apresentar a Economia Solidária, os seus dados e possibilitar o acesso e análise para os municípios e região do Vale do Sinos, em vista de qualificar os processos de planejamento, monitoramento e avaliação das políticas públicas nesta área. A atividade será coordenada pelo Professor Dr. Luiz Inácio Gaiger, pela mestranda Kellen Cristine Pasqualeto e pela MS Suziane Gutbier. O evento ocorrerá das 14h às 17h, na sala Ignacio Ellacuría e Companheiros – IHU. Inscreva-se aqui

Entendendo a Economia Solidária

A Economia Solidária tem origem no século XIX, contra o avanço do capitalismo industrial, a exclusão e exploração no mundo do trabalho. No Brasil, ela surge somente no final do século XX. A Economia Solidária se contrapõe ao modelo econômico vigente na sociedade, a partir da presença ativa e organizada de pessoas associadas aos Empreendimentos Econômicos e Solidários – EES. Os EES possibilitam estabelecer uma nova cultura pautada por relações solidárias e coletivas.

Os EES se caracterizam por desempenhar atividades econômicas na produção de bens e serviços, cooperativas de fundo de crédito ou fundos rotativos populares e comercialização e consumo, possibilitando a compra ou a troca. Os EES são organizações coletivas formadas por associações, cooperativas, empresas autogestionárias, grupos de produção, clube de trocas, entre outras formas de organizações solidárias.

 

A Economia Solidária no Vale do Sinos 

O Brasil possuía, até 2013, 1,42 milhão de associados na Economia Solidária distribuídos em 19.708 EES, segundo o Atlas Digital da Economia Solidária. O Rio Grande do Sul era o estado com o maior número de associados (193.822) e também com o maior número de EES (1.696). A Região do Vale do Sinos representava 2,11% do total do país e 24,53% do total do estado na quantidade de EES. Já em número de associados o Vale do Sinos representava 0,18% do país e 1,37% do Rio Grande do Sul. Os municípios de São Leopoldo (979), Novo Hamburgo (796) e Canoas (350) eram responsáveis por 80,13% dos associados da Economia Solidária no Vale do Sinos. Esses mesmos municípios são também os que possuíam o maior número de EES, com destaque para o município de Campo Bom.

Acesse aqui o II Mapeamento da Economia Solidária na Região Sul.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Instituto Humanitas Unisinos - IHU - Oficina sobre economia solidária no Vale do Sinos