Carlos Brandão na oração inter-religiosa desta semana

Revista ihu on-line

Renúncia suprema. O suicídio em debate

Edição: 515

Leia mais

Lutero e a Reforma – 500 anos depois. Um debate

Edição: 514

Leia mais

Bioética e o contexto hermenêutico da Biopolítica

Edição: 513

Leia mais

Renúncia suprema. O suicídio em debate

Edição: 515

Leia mais

Lutero e a Reforma – 500 anos depois. Um debate

Edição: 514

Leia mais

Bioética e o contexto hermenêutico da Biopolítica

Edição: 513

Leia mais

Renúncia suprema. O suicídio em debate

Edição: 515

Leia mais

Lutero e a Reforma – 500 anos depois. Um debate

Edição: 514

Leia mais

Bioética e o contexto hermenêutico da Biopolítica

Edição: 513

Leia mais

Mais Lidos

  • Quem é o grupo que pode lançar Luciano Huck à presidência em 2018

    LER MAIS
  • O império dos monopólios. Artigo de Joseph Stiglitz

    LER MAIS
  • A polarização não está nos deixando pensar

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

08 Julho 2017

Neste espaço se entrelaçam poesia e mística. Por meio de orações de mestres espirituais de diferentes religiões, mergulhamos no Mistério que é a absoluta transcendência e a absoluta proximidade. Este serviço é uma iniciativa feita em parceria com o Prof. Dr. Faustino Teixeira, teólogo, professor e pesquisador do PPG em Ciências da Religião da Universidade Federal de Juiz de Fora - MG.

Beber


Obra de Arturo Martini. Bevitore (1928-1929)

Vê essa concha? São tuas mãos.
Aperta os dedos com jeito,
Mas que um pouco de água te escape.
Antes de tomar dá de beber
a um grão do pó do chão, a um inseto
a uma folha seca, a um galho de canela
a um mito de outros povos, a um duende
a um fio do vento, a um ar do sol
a uma criança e a um velho.
E depois bebe.
O que sobrou é tua parte.
Bebe.

Fonte: Carlos Rodrigues Brandão. Orar com o corpo. 2 ed. Campinas: Verus, 20 p. 71.


Carlos Brandão | Foto: YouTube

Carlos Rodrigues Brandão (1940): Nascido no Rio de Janeiro, é licenciado em psicologia, mestre em Antropologia Social e doutor em Ciências Sociais, com pós-doutorado Universitá degli studi di Perugia, Itália, e pela Faculdade de Geografia e Historia da Universidad de Santiago, Espanha. É professor Emérito da Unicamp e um dos criadores do Programa de Doutorado em Ciências Sociais da mesma universidade.

Em 2006 foi agraciado com a medalha Roquette Pinto Pinto da Associação Brasileira de Antropologia. Em 2008 e 2010, recebeu o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal de Uberlândia e pela Universidade Federal de Goiás. Com mais de 30 obras publicadas, Brandão pesquisa, principalmente, antropologia rural e antropologia da religião, culturas populares, educação rural e educação popular. Entre seus livros, destacamos: O Que é Folclore (1985); Festim dos Bruxos (1987); Somos as Águas Puras (1994); Orar Com o Corpo (2005); A senda da estrela: poemas de Galícia e do Camino de Santiago (2009); Memória do sagrado: estudos de religião e ritual (1985).

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Carlos Brandão na oração inter-religiosa desta semana - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV