Mônica Hortegas na oração inter-religiosa desta semana

Revista ihu on-line

Gênero e violência - Um debate sobre a vulnerabilidade de mulheres e LGBTs

Edição: 507

Leia mais

Os coletivos criminais e o aparato policial. A vida na periferia sob cerco

Edição: 506

Leia mais

Giorgio Agamben e a impossibilidade de salvação da modernidade e da política moderna

Edição: 505

Leia mais

Mais Lidos

  • Cardeais Tarcisio Bertone e George Pell diante dos tribunais

    LER MAIS
  • “Mais mulheres no poder não acaba com a ordem patriarcal”, afirma arqueóloga das identidades

    LER MAIS
  • Elon Musk: “A inteligência artificial ameaça a existência da nossa civilização”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

30 Junho 2017

Neste espaço se entrelaçam poesia e mística. Por meio de orações de mestres espirituais de diferentes religiões, mergulhamos no Mistério que é a absoluta transcendência e a absoluta proximidade. Este serviço é uma iniciativa feita em parceria com o Prof. Dr. Faustino Teixeira, teólogo, professor e pesquisador do PPG em Ciências da Religião da Universidade Federal de Juiz de Fora - MG.

Entre anjos e homens


Anjo da cidade de São José das Três Ilhas (MG) (Foto: Mônica Hortegas | Arquivo pessoal)

Um anjo menino -
suas asas ainda não cresceram.
Quase humano,
quase sente,
quase se apieda e ora.
Seu corpo é como o mármore
que impõe a barreira para nós,
os humanos.
Entre anjos e homens
há uma linha tênue,
translúcida
que muito raramente se toca.
Mais das vezes
somos tocados por homens -
quase anjos
que abrem fendas na gente
e plantam flores,
plantam árvores,
estrelas, sóis
e bois.
E já muito pouco se deseja
tocar em anjos de mármore.
Homens bastam.

Mônica Hortegas


Mônica Hortegas | Arquivo pessoal

Mônica Hortegas é poeta, psicóloga e atualmente faz o doutorado em ciência da religião na Universidade Federal de Juiz de Fora, onde estuda o self em um poema chinês do século XII, chamado O Boi e o Pastor. Publicou dois livros de poemas: Passeio de Barco (2011) e Aldravia (2017). Publicou também o livro: Mandalas, o impacto das tradições religiosas na obra de C.G. Jung (Fonte Editorial, 2016).

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Instituto Humanitas Unisinos - IHU - Mônica Hortegas na oração inter-religiosa desta semana