Papa Francisco. “Basta de violência na Venezuela. É preciso respeitar os direitos humanos”

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • A ditadura do sr. Guedes. Artigo de Vladimir Safatle

    LER MAIS
  • Um estranho casamento: neoliberalismo e nacionalismo de direita

    LER MAIS
  • "Nunca, nunca encobrir a realidade. Dizer sempre: 'É assim'”. Papa Francisco recebe a redação da revista jesuíta Aggiornamenti Sociali

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

01 Maio 2017

No sábado, durante o voo de volta do Egito, o Papa Francisco disse que a Venezuela era um país “que eu amo muito”. No domingo, durante o Regina Coeli, o primeiro papa latino-americano da história chamou a atenção da comunidade internacional sobre a dramática situação da Venezuela. “Não param de chegar notícias dramáticas sobre a situação na Venezuela – disse – e o agravamento dos enfrentamentos, com numerosos mortos, feridos e detidos. Enquanto me uno à dor das famílias das vítimas, por quem rezo, faço um pedido cordial ao Governo e a todos os membros da sociedade venezuelana para que evitem qualquer posterior forma de violência, sejam respeitados os direitos humanos e se busquem soluções negociadas para a grave crise humanitária, social, política e economia que deixam a população extenuada”.

A reportagem é de Giacomo Galeazzi e publicada por Vatican Insider, 30-04-2017. A tradução é de André Langer.

O Pontífice disse que confiou “à Santíssima Virgem Maria a intenção da paz, da reconciliação e da democracia nesse querido país. E rezamos por todos os países que atravessam graves dificuldades. Penso, sobretudo, nestes dias na República da Macedônia”.

Jorge Mario Bergoglio também recordou a “viagem apostólica ao Egito que acabo de fazer”. E pediu ao “Senhor para que abençoe todo o povo egípcio, tão acolhedor, as autoridades e os fiéis cristãos e muçulmanos, e dê paz a esse país”.

Neste domingo, na Itália, aconteceu a Jornada da Universidade Católica do Sagrado Coração, motivo pelo qual o Pontífice estimulou a “apoiar esta importante instituição, que segue investindo na formação dos jovens para melhorar o mundo”. O Papa também se referiu a outro evento: “a formação cristã baseia-se na Palavra de Deus. Por isso, gosto de recordar também que hoje, na Polônia, acontece o Domingo da Bíblia. Nas igrejas paroquiais, nas escolas e nos meios de comunicação lê-se publicamente uma parte da Sagrada Escritura. Desejo todo bem a esta iniciativa”.

Também este é um domingo dedicado aos 150 anos da Ação Católica italiana. Por este motivo, no discurso para as celebrações, o Papa convidou os membros da associação para que “sintam forte dentro de vocês a responsabilidade de lançar a boa semente do Evangelho na vida do mundo, através do serviço da caridade, do compromisso político; entrem na política, mas, por favor, na grande política, na política com letra maiúscula, através da paixão pela educação e pela participação no desenvolvimento cultural”.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Papa Francisco. “Basta de violência na Venezuela. É preciso respeitar os direitos humanos” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV