Frentes de Proteção a Povos Isolados são fechadas no AM e Focimp divulga nota em repúdio

Revista ihu on-line

Fake news – Ambiência digital e os novos modos de ser

Edição: 520

Leia mais

30 anos da Constituição – A experiência cidadã incompleta

Edição: 519

Leia mais

Violência e suas múltiplas dimensões

Edição: 518

Leia mais

Mais Lidos

  • Suicídio de estudantes causa comoção nas redes sociais e reflexões em escolas

    LER MAIS
  • Livrar-se do clero, mas manter o Sacramento da Ordem

    LER MAIS
  • "Há uma engrenagem de destruição física e psíquica de Lula na PF em Curitiba", afirma Flávio Koutzii

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

20 Abril 2017

Os povos indígenas seguem manifestando-se publicamente contra o desmonte da Fundação Nacional do Índio (Funai) tocada a todo vapor pelo governo de Michel Temer. A Federação das Organizações e Comunidades Indígenas do Médio Purus (Focimp), em nota pública, repudia o fechamento de três Frentes de Proteção Etnoambiental dos Povos Isolados - Hi’Merimã, Katawixi e Suruwaha.

"(...) coloca todos os povos indígenas da região do Rio Purus em completo abandono e desassistência", diz trecho da nota. A Focimp repudia também o encerramento dos trabalhos de Coordenações Locais da Funai país afora. Na próxima semana, terá início o Acampamento Terra Livre (ATL), em Brasília, que reunirá ao menos 1500 indígenas do Brasil.

A nota é publicada por Conselho Indigenista Missionário – CIMI, 18-04-2017.

Eis a nota:

A FOCIMP - Federação das Organizações e Comunidades Indígenas do Médio Purus vem a público repudiar a decisão do presidente da FUNAI em relação às medidas tomadas na região do Médio Rio Purus sem consulta aos povos indígenas, conforme a convenção 169 da OIT.

Repudiamos o fechamento das Coordenações Regionais da FUNAI (Cr’s) em todo o Brasil e das Frentes Etno Ambiental de Proteção aos Povos Isolados Hi’Merimã, Katawixi e Suruwaha, o que coloca todos os povos indígenas da região do Rio Purus em completo abandono e desassistência e principalmente aos povos isolados em situação de vulnerabilidade uma vez que os entornos das terras onde habitam esses povos estão sob grande pressão por interesses exploratórios.


(Foto: CIMI)


A FOCIMP vem deixar claro que não vai ser conivente com esse golpe de desmonte do desgoverno Temer que não nos representa e destrói todos os nossos direitos seja na saúde, educação ou na demarcação de nossas terras, incentivando assim conflitos e abrindo as portas ao agronegócio que rouba, mata e polui nossas terras e águas. Exigimos respeito e estaremos lutando até o último índio em defesa de nossos direitos.

Lábrea 17 de abril de 2017.

MARCILIO BATALHA APURINÃ
Coordenador Executivo

FOCIMP - Federação das Organizações e Comunidades
Indígenas do Médio Purus

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Frentes de Proteção a Povos Isolados são fechadas no AM e Focimp divulga nota em repúdio - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV