Breves do Facebook

Revista ihu on-line

A ‘uberização’ e as encruzilhadas do mundo do trabalho

Edição: 503

Leia mais

Sociabilidade 2.0 Relações humanas nas redes digitais

Edição: 502

Leia mais

O Holocausto no cinema. Algumas aproximações

Edição: 501

Leia mais

Mais Lidos

  • Igreja batiza três filhos de casal gay na Catedral de Curitiba

    LER MAIS
  • CNBB e mais de 60 bispos convocam população para a greve geral

    LER MAIS
  • Igrejas Evangélicas Históricas e Aliança Evangélica assinam manifesto contra a Reforma da Previd

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

20 Março 2017

Ana Weiss

Se as pessoas soubessem do que são feitos os jornais, leriam as salsichas

Pablo Ortellado

A ideia é que deixemos de lado o escândalo da venda de comida podre para as nossas famílias, que deixemos de lado o saque bilionário da Petrobrás, que deixemos de lado o financiamento de campanha com o sobrepreço de obras superfaturadas, que deixemos de lado a construção de hidrelétricas que atropelam as comunidades do Xingu, que deixemos de lado a construção de mega-estádios que nunca mais serão utilizados -- a ideia é jogar tudo para debaixo do tapete em defesa dos nossos grandes empresários que desenvolvem o país, gerando emprego, pagando impostos e levando o glorioso nome do Brasil ao exterior, apenas com um empurrãozinho de isenções fiscais e empréstimos do BNDES?

André Vallias

Brasil: maminha ou deixe-o.

 

Gustavo Gindre

Estou fora do Facebook por motivos pessoais e não devo voltar por algum tempo.

Mas precisava apenas dizer uma coisa.

Vão se foder vocês que defendiam empreiteiras e agora defendem frigoríficos. Independente da desculpa que possam inventar, tudo o que consigo sentir por vocês é nojo e desprezo.

Vocês que fazem esse tipo de defesa e se dizem de esquerda são piores do que a pior direita. São uma tragédia que envergonha qualquer um que luta de fato por um mundo mais justo e fraterno.

Alexandre Araújo Costa

Aviso aos amigos e às amigas: cuidado com falsos conflitos! A JBS/Friboi deu um calote de R$ 1,8 bilhões... na Previdência! É a segunda maior devedora do País. Não há contradição entre combater o agronegócio e a indústria da carne e defender a sua aposentadoria. Pelo contrário!

Alexandre Araújo Costa

90 anos que a esquerda brasileira embarca na "aliança com a burguesia nacional contra o imperialismo". Spoiler: não deu certo, abiguinho! Quanto mais se essa "burguesia nacional" são as empreiteiras e os ruralistas...

Gustavo Gindre

Me expliquem aí, por favor.

Os Estados Unidos possuem um organismo interministerial responsável por analisar investimentos estrangeiros no país, chamado CFIUS.

Foi o CFIUS que barrou a compra da divisão de telecomunicações da Motorola pela chinesa Huawei com a alegação de que se trata de um setor estratégico que não poderia cair em mãos chinesas.

Protecionismo na cara dura.

Então, se o objetivo é destruir os frigoríficos brasileiros, por que o CFIUS não impediu que o JBS comprasse a Swift e a Plumrose, ambas norte-americanas? Por que deixou crescer na terra do Tio Sam para depois tramar a quebra da empresa?

Que plano foi esse?

Idelber Avelar

Assisti ontem à reportagem do Jornal Nacional sobre a Operação Carne Fraca, da PF. A matéria tem 12 minutos. 3 são dedicados à operação e à descrição das denúncias, que incluem, como todo mundo já sabe, o pagamento de propinas a funcionários federais, por parte da JBS e da BRF, para a liberação de carne podre, adulterada com ácido ascórbico, cabeça e bochecha de porco, papelão e o caralho a quatro. Os restantes 9 minutos são dedicados às explicações do governo e à defesa dos frigoríficos envolvidos nas denúncias.

A divisão é grosseiramente desproporcional, mas a matéria está, no fundamental, correta. Ela apresenta o essencial da informação, inclusive o fato de que o esquema abastecia propinas para o PP e para o PMDB. Você poderia especular que a desproporção no tempo esteja relacionada ao papel central que têm JBS e BRF como anunciantes na Globo. É uma especulação legítima.

Se a matéria fosse do Guardian ou da BBC, ela estaria melhor? Com certeza. Mas, no Brasil, isso é o que tem pra hoje. É o que temos para nos informar sobre o básico: Globo, Folha, Estadão, congêneres. Porque o resto .... Ah, o resto!

Confesso que eu, que nunca leio a imprensa necrogovernista / lulista / petista, senti a curiosidade de lê-la desta vez, porque seria a perfeita oportunidade para fazer um mínimo de jornalismo sem abrir mão de suas posições ideológicas básicas. Afinal de contas, o escândalo aconteceu no governo Temer (não começou no governo Temer, obviamente, mas isso eles poderiam omitir sem prejuízo da informação relevante), as propinas abasteciam os "golpistas" PMDB e PP e a operação da PF é de óbvio interesse da cidadania. Porra, é carne podre!

E eis que os veículos da imprensa necrogovernista / lulista / petista publicam as seguintes manchetes sobre o fato (não, não vou dar link, quem quiser, que ache no Google):

"Como fica a legião de boçais que espalhou a história de que a Friboi era do Lulinha?"
"O escândalo envolvendo a Friboi repete hoje o mesmo esquema que os EUA orquestraram contra o café brasileiro no passado".
"Depois de quebrar pré-sal, esquema PF e MP pode quebrar frigoríficos nacionais".
"Eles querem é a carne do Lula".
"Operação da PF arruína imagem do Brasil e põe em risco R$ 15 bilhões".

E por aí vai. Basicamente, a imprensa necrogovernista / lulista / petista está dizendo à população que o que "arruína" a imagem do Brasil não são os seus conglomerados de proteína animal comprarem o Estado para venderem carne podre e adulterada; que o que importa não é a população estar comendo papelão e ácido, mas sim o fato de que alguém algum dia circulou um hoax dizendo que Lulinha era dono da Friboi; que há uma conspiração da PF com o MP e os EUA para destruir esse grande orgulho nacional, a indústria da carne -- indústria da carne podre que rega propinas para políticos, essa parte eles se esquecem de acrescentar.

Não há testemunho melhor da falência dessa guerrilha de contra-informação na qual a esquerda apostou nos últimos anos: revela-se que a população está comendo carne podre, mas os caras estão preocupados com a queda do lucro e o dano à imagem da "indústria nacional".

Nojo define.

Gustavo Gindre

(Saindo disso aqui por um tempo)

Eu defendo o latifúndio na mão de brasileiros.

Eu defendo a degradação ambiental se praticada por brasileiros.

Eu defendo o modelo agro-exportador desde que brasileiro.

Eu defendo a crise do pequeno produtor rural desde que levada a cabo por mega empresários brasileiros.

Eu defendo o trabalho precário e insalubre, mas de brasileiros, claro.

Eu defendo a corrupção de servidores e políticos eleitos, desde que a propina seja brasileira.

Eu defendo a porta-giratoria de ministros que viram diretores de empresas (ou seja, lobistas) desde que seja para empresas brasileiras.

Eu defendo sacanagens de tesouraria (como a da ex Sadia) desde que a tesouraria seja brasileira.

Eu defendo a burla sanitária desde que seja uma burla brasileira.

E faço isso tudo porque sou desenvolvimentista e de esquerda...

Alexandre Araújo Costa

"Que se danem os trabalhadores sujeitos a regime de escravidão ou semiescravidão. Que se danem os indígenas vítimas de genocídio. Que se danem as florestas derrubadas, os rios poluídos e a água consumida em quantidades enormes. Que se danem os milhões de animais submetidos a um sofrimento cruel, injustificável. Que se danem as emissões de metano e o estrago no clima. Que se dane a dívida volumosa com a previdência e o BNDES. Que se danem os parâmetros mínimos de saúde pública."

Sinceramente, quando quase toda uma mídia que se diz "progressista" ignora tudo isso para fazer uma defesa cínica do que chamam de "indústria nacional" (semelhante ao que fizeram com as empreiteiras) fico a pensar qual é a real desse pessoal? É ilusão persistente no mito de se "aliar com a burguesia nacional para derrotar o imperialismo", fantasma que assola a esquerda brasileira há 90 anos e que sempre nos levou ao buraco? É delírio mesmo, semelhante ao que povoa a mente dos supostamente antípodas no espectro ideológico? É uma preocupação mesquinha com o financiamento da campanha do Lula em 2018? É o quê?

Quando nem um golpe, uma defenestração humilhante e abjeta do governo por parte da coalizão de arquinimigos e aliados de um minuto atrás, ensina... é porque é caso perdido mesmo.

Alexandre Araújo Costa

Vocês estão ligados no tanto de manipulação que está rolando em torno da transposição do São Francisco ou não? Ainda que no atual contexto de determinadas cidades do interior do Nordeste a transposição tenha virado na prática a tábua de salvação (por toda a política hídrica dos últimos anos), o projeto sempre teve em seu coração tudo, menos o atendimento da população difusa (esta não é por meio de megaobras que é atendida, mas de tecnologias sociais igualmente descentralizadas). Quem sempre esteve e continua de olho na água do Velho Chico são o agronegócio, as termelétricas, as siderúrgicas, a mineração, etc. Ademais, o próprio São Francisco não está nada bem das pernas: assoreado, poluído e com vazões reduzidas, sendo que as projeções climáticas em geral apontam uma piora do quadro (alguns modelos indicam queda de 60% na vazão já até 2040). Sobrevida para indústrias poluentes e para os latifundiários da região é o que está por trás. Muita enganação, muita.

Jôziel Almeida

EFEITO FRANCISCO

Jamais esperava ver um Bispo de Natal (RN) e um clero tão conservador, acomodado, apegado as riquezas e ao luxo visitar um acampamento do MST, sentar-se com eles e repartir o pão e a palavra.

Que os bons ventos continuem soprando!!

"Nenhuma família sem casa, Nenhum camponês sem terra, Nenhum trabalhador sem direitos"
(Francisco)


Alexandre Araújo Costa

Vocês estão ligados no tanto de manipulação que está rolando em torno da transposição do São Francisco ou não? Ainda que no atual contexto de determinadas cidades do interior do Nordeste a transposição tenha virado na prática a tábua de salvação (por toda a política hídrica dos últimos anos), o projeto sempre teve em seu coração tudo, menos o atendimento da população difusa (esta não é por meio de megaobras que é atendida, mas de tecnologias sociais igualmente descentralizadas). Quem sempre esteve e continua de olho na água do Velho Chico são o agronegócio, as termelétricas, as siderúrgicas, a mineração, etc. Ademais, o próprio São Francisco não está nada bem das pernas: assoreado, poluído e com vazões reduzidas, sendo que as projeções climáticas em geral apontam uma piora do quadro (alguns modelos indicam queda de 60% na vazão já até 2040). Sobrevida para indústrias poluentes e para os latifundiários da região é o que está por trás. Muita enganação, muita.

Trendii

Big Circus Cats Released In The Wild For The First Time <3

Click for sound and full view.

credit: The Dodo

Alexandre Araújo Costa

JBS/Friboi vai apostar agora num novo mercado consumidor

Caetano Scannavino com Roberto Smeraldi

Nada disso é novidade, só a atenção do país no assunto. Qdo falamos la atras, ninguém ouviu. Tá rolando muita desinformação nas redes (e na PF tb). Por isso é oportuno repostar esse doc, alias, entregue há 4 anos tb pra PF. Bom trabalho do colega de batalha Roberto Smeraldi e parceiros do Amigos da Terra. Link aqui: https://goo.gl/IgkJ4z.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Instituto Humanitas Unisinos - IHU - Breves do Facebook