Números recordes de abandono na Igreja da Suécia

Revista ihu on-line

Giorgio Agamben e a impossibilidade de salvação da modernidade e da política moderna

Edição: 505

Leia mais

Pier Paolo Pasolini Um trágico moderno e sua nostalgia do sagrado

Edição: 504

Leia mais

A ‘uberização’ e as encruzilhadas do mundo do trabalho

Edição: 503

Leia mais

Mais Lidos

  • Não há condições éticas de Temer seguir no cargo, diz secretário-geral da CNBB

    LER MAIS
  • Brasil será denunciado na OEA por violar direitos dos povos indígenas

    LER MAIS
  • A reforma trabalhista nos leva ao fundo do poço. Artigo de Luiz Gonzaga Belluzzo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

14 Janeiro 2017

Nunca antes a Igreja da Suécia perdeu tantos membros em um ano civil. Quase 86 mil escolheram sair em 2016, segundo reportagem da agência noticiosa TT.

Os dados preliminares fornecidos pela Igreja da Suécia mostram que um número recorde de 85.848 pessoas deixou a igreja em 2016, bem acima dos 46.895 do ano anterior.

“É profundamente preocupante”, diz a Bispa Antje Jackelén.

A informação é publicada por Radio Sweden, 11-01-2017. A tradução é de Isaque Gomes Correa.

Mesmo a queda sendo preocupante, ela não é surpresa, segundo a líder luterana.

“É um padrão que vemos também em relação a outras organizações da sociedade, tais como organizações ambientalistas e partidos políticos. Até mesmo igrejas irmãs nórdicas perderam, nesse ano, mais do que o normal”, afirma.

A ira pública que se seguiu às reportagens de que certas paróquias da haviam feito viagens luxuosas ao exterior usando o dinheiro dos membros é considerada uma das razões por trás da diminuição recorde de membresia.

Em 2016, 7.553 pessoas assumiram a membresia, o que representa uma diminuição na comparação com o ano anterior.

Em 2000, quando a igreja sueca se separou do Estado, 82,9% da população do país fazia parte dela. Este número hoje caiu para 63%. Espera-se que a tendência continue.

Estima-se que apenas cerca de 45% dos suecos permanecerão membros em 2030. A Igreja da Suécia é financiada pela taxa paga pelos fiéis, que antes costumava ser um imposto. Este valor é pago por cerca de 6.2 milhões de suecos.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Instituto Humanitas Unisinos - IHU - Números recordes de abandono na Igreja da Suécia