Diálogo católico-luterano a 500 anos da Reforma: o documento "Do conflito à comunhão"

Revista ihu on-line

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Mais Lidos

  • O holocausto da Amazônia põe a civilização em alerta. Artigo de Marina Silva

    LER MAIS
  • Recorde de queimadas reflete irresponsabilidade de Bolsonaro. Nota do Observatório do Clima

    LER MAIS
  • Assim o 1% se prepara para o apocalipse climático

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

19 Outubro 2016

Publicamos aqui o prefácio do documento Do conflito à comunhão, fruto do trabalho da Comissão Luterano-Católico-Romana sobre a Unidade, nomeada pelo Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos (PCPUC) e pela Federação Luterana Mundial (FLM).

O texto foi publicado no sítio da FLM.

Eis o texto.

A luta de Martinho Lutero com Deus conduziu e definiu toda sua vida. A pergunta como eu posso encontrar o Deus gracioso, inquietava-o constantemente. Ele encontrou o Deus gracioso no Evangelho de Jesus Cristo. “A verdadeira teologia e conhecimento de Deus estão no Cristo crucificado” (Heidelberger Disputation).

Em 2017, cristãos católicos e luteranos olharão de maneira mais adequada para os eventos que ocorreram há 500 anos, se colocarem o Evangelho de Jesus Cristo no centro. O Evangelho deve ser celebrado e comunicado às pessoas de nosso tempo para que o mundo creia que Deus deu a si mesmo à humanidade e nos chama à comunhão consigo e com sua Igreja. Nisto está o motivo de nossa alegria em nossa fé comum.

A essa alegria também pertence um discernimento, um olhar crítico sobre nós mesmos, não somente sobre o passado histórico, mas também sobre o nosso presente. Nós cristãos certamente não fomos sempre fiéis ao Evangelho; com demasiada frequência nos conformamos ao modo de ser e comportar do mundo à nossa volta. Demasiadas vezes obstruímos o caminho da boa notícia da graça divina.

Tanto como fiéis individuais quanto como comunidade, todos sempre temos necessidade de conversão e reforma –  encorajados e conduzidos pelo Espírito Santo. “Quando nosso Mestre e Senhor, Jesus Cristo, disse, ‘arrependam-se’, ele quis que toda vida dos fiéis fosse de arrependimento”. Assim se lê na afirmação inicial das  95 teses de Lutero de 1517, que desencadeou o movimento da Reforma.

Ainda que essa tese seja tudo menos evidente, nós cristãos luteranos e católicos, queremos levá-la a sério, dirigindo primeiro nosso olhar crítico a nós mesmos e não sobre os outros. Tomamos como nossa norma orientativa a doutrina da justificação que expressa a mensagem do  Evangelho, e, por isso, “visa orientar toda a doutrina e prática da Igreja incessantemente para Cristo” (Declaração Conjunta sobre a Doutrina da Justificação 18).

A verdadeira unidade da Igreja só pode existir como unidade na verdade do Evangelho de Jesus Cristo. O fato de a luta por essa verdade no século XVI ter levado à perda da unidade no Cristianismo Ocidental, pertence às páginas obscuras da história da Igreja. Em 2017 deveremos confessar abertamente que, ao ferirmos a unidade da Igreja, nos tornamos culpados diante de Jesus Cristo. Esse ano comemorativo nos coloca, portanto, diante de dois desafios: a purificação e a cura das memórias, e a restauração da unidade cristã, conforme a verdade do Evangelho de Jesus Cristo (cf. Ef 4,4-6).

O texto a seguir descreve um caminho “do conflito à comunhão” – um caminho cujo objetivo ainda não alcançamos. Apesar disso, a Comissão para a Unidade Luterano-Católica levou a sério as palavras do Papa João XXIII: “O que nos une é maior do que o que nos divide”. Convidamos todas as pessoas cristãs a estudar o  Relatório de nossa Comissão, com mente aberta e crítica, e a percorrer conosco o caminho rumo a uma comunhão mais profunda de todos os cristãos.

* * *

O documento, na íntegra, em português, pode ser lido aqui.

Leia mais:

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Diálogo católico-luterano a 500 anos da Reforma: o documento "Do conflito à comunhão" - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV