Gustavo Gutiérrez: “Apenas quando formos amigos dos pobres, teremos nos comprometido com eles”

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • Instrumentum Laboris do Sínodo para a Amazônia, um novo passo de “um 'kairós' para a Igreja e o mundo”

    LER MAIS
  • “Minha filha trans e católica é uma prova viva de como o Vaticano está errado em relação ao gênero”

    LER MAIS
  • Anule-se tudo que aconteceu a partir da criação da Lava Jato

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

02 Outubro 2016

O pai da Teologia da Libertação, Gustavo Gutiérrez, recebeu no dia 28 de setembro o Prêmio Pacem in Terris na cidade de Davenport, Iowa, nos Estados Unidos.

A reportagem é de Cameron Doody e publicada por Religión Digital, 01-10-2016. A tradução é de André Langer.

“Apenas quando formos amigos dos pobres, teremos nos comprometido com eles”, disse Gutiérrez na entrega do prêmio, dirigindo-se a um público de 300 pessoas.

Defendeu, em seu discurso, que é somente pela amizade que as pessoas se tornam iguais. Essa igualdade de todos, acrescentou, é de vital importância para que sejamos capazes de reconhecer a dignidade dos pobres.

O padre Chuck Adam, representante da coalizão inter-religiosa que concedeu o prêmio a Gutiérrez, por sua vez, disse sobre o teólogo que “seu trabalho é, atualmente, relevante, quando estamos buscando soluções para a situação dos pobres [e] abordando assuntos sociais importantes, como a criação de emprego, o salário justo, saúde e educação e solucionando a violência urbana e as disparidades raciais”.

“Seus escritos nunca foram censurados, embora examinados, mas agora se considera que têm muito valor para uma Igreja que o Papa Francisco quer que seja misericordiosa, um ‘hospital de campanha’”, acrescentou Adam.

Anualmente escolhe-se para o Prêmio Pacem in Terris um candidato que se destaca por seu trabalho pela justiça social e pela paz. A lista dos ganhadores do prêmio – que começou a ser concedido em 1964, um ano após a publicação da encíclica de mesmo nome de João XXIII – contém nomes como Martin Luther King Jr, Dorothy Day e Teresa de Calcutá.

Leia mais...

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Gustavo Gutiérrez: “Apenas quando formos amigos dos pobres, teremos nos comprometido com eles” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV