O IOR congela as contas de um empresário agora investigado pela Itália

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • “A pastoral com as pessoas LGBT deve fazer parte do caminho sinodal”, defende o cardeal de Bolonha

    LER MAIS
  • Os padres das novas gerações e o ‘modelo’ padre Pino Puglisi: uma distância intransponível?

    LER MAIS
  • As origens do termo “gaúcho” e nossas heranças indígenas. A história que não te contam

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


27 Mai 2016

Um empresário Romano está sendo investigado na Itália por falência fraudulenta, após a investigação começada pela Justiça do Vaticano, que preventivamente congelou as suas contas no Instituto para as Obras de Religião (IOR), relacionadas com os trabalhos de restauração que estava realizando no Vaticano.

A informação é publicada por Zenit, 25-05-2016.

O empresário Angelo Proietti, administrador único da empresa construtora Edil Ars viu as suas contas congeladas, por petição do ministério público da capital italiana, com a acusação de ter provocado a quebra da empresa. O patrimônio é de 11 milhões de euros.

“As autoridades competentes da Santa Sé e da Cidade-Estado do Vaticano começaram as investigações estabelecidas pelas leis do Vaticano de 2013, investigando depois da sinalização de atividades suspeitas que levam ao senhor Proietti, congelando todos os recursos financeiros relacionados”.

Em comunicado da Sala de Imprensa da Santa Sé se indica que as autoridades do Vaticano colaboraram com as autoridades italianas no caso e que no Vaticano “encontra-se aberto um procedimento penal e as autoridades competentes estão avaliando a existência de eventuais danos aos entes da Santa Sé e do Estado Cidade do Vaticano”.

Já sobre a renúncia dos dois conselheiros do IOR, também anuncia hoje, nada mais é – disse o Pe. Lombardi hoje – do que renúncias apresentadas após o fechamento de um ciclo, ou seja, a aprovação positiva e publicação do Relatório anual do IOR.

Portanto agora começa a fase de “avaliar novos candidatos que sejam aptos para ocupar postos vacantes no Conselho de intendência”, o qual, destacou o porta-voz do vaticano, leva um longo tempo.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O IOR congela as contas de um empresário agora investigado pela Itália - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV