‘Situação na Venezuela não pode ser mais grave’, diz Humans Rights Watch

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • Mas Francisco está sozinho, como diz Marco Politi? Um valioso livro de análise do pontificado. De qualquer forma, Francisco deu início a um novo curso na Igreja

    LER MAIS
  • Cardeal peruano defende agenda do Sínodo amazônico após ataques de Müller e Brandmüller

    LER MAIS
  • Padilha: suspensão de programa de medicamentos gratuitos coloca vidas e empregos em risco

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

20 Maio 2016

O diretor para as Américas da Human Rights Watch (HRW), José Miguel Vivanco, considerou nesta quinta-feira (19) que a situação na Venezuela é muito grave, e cobrou uma atitude “clara e firma” da comunidade internacional.

“A situação na Venezuela não pode ser mais grave. Assistimos a uma situação realmente de crise. Creio que os fatos falam por si e exigem uma atitude clara e firme por parte da comunidade internacional”, disse ele a jornalistas em Bogotá.

A informação foi publicada por Agência Lusa, 19-05-2016.

O representante da HRW foi à capital colombiana para apresentar o livro do líder opositor venezuelano Leopoldo López, Preso pero libre (Preso, mas livre em tradução Alivre).

Vivanco disse que os venezuelanos estão “totalmente indefesos”. “É essencial que a comunidade regional atue rapidamente para evitar a violência e maiores abusos do que os que já sofre hoje a grande maioria dos cidadãos do país”, disse ele.

A Venezuela vive uma crise política desde o início de 2014 acentuada pela vitória da oposição nas eleições legislativas de dezembro de 2015, que pretende organizar um referendo para destituir o presidente Nicolás Maduro.

O país enfrenta ainda graves problemas econômicos, levando o governo a declarar oficialmente no dia 16 o “estado de exceção e de emergência econômica”, que aumenta os seus poderes sobre a segurança, distribuição de alimentos e energia.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

‘Situação na Venezuela não pode ser mais grave’, diz Humans Rights Watch - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV