Reino Unido fechará usinas de carvão em 2025

Revista ihu on-line

Populismo segundo Ernesto Laclau. Chave para uma democracia radical e plural

Edição: 508

Leia mais

Gênero e violência - Um debate sobre a vulnerabilidade de mulheres e LGBTs

Edição: 507

Leia mais

Os coletivos criminais e o aparato policial. A vida na periferia sob cerco

Edição: 506

Leia mais

Mais Lidos

  • Os filhos dos padres: a nova investigação da equipe Spotlight

    LER MAIS
  • A CNBB recolhida em jejum e oração

    LER MAIS
  • 'Estamos frente a um sistema de agiotagem que paralisou o país'

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

20 Novembro 2015

A secretária de Energia e Mudanças Climáticas do Reino Unido, Amber Rudd, anunciou nesta quarta-feira (18) que o país fechará todas as usinas de carvão em 2025. Se o plano se confirmar, a Grã-Bretanha será o primeiro grande país a encerrar as operações das usinas. A solução para alcançar segurança energética, porém, não será ousada no investimento em renováveis: a lacuna deixada pelo carvão deve ser preenchida com gás e usinas nucleares.

A reportagem foi publicada por Observatório do Clima, 18-11-2015.

Em discurso, Rudd afirmou que a medida é um “reset” na política energética inglesa. Segundo ela, o Reino Unido enfrenta o legado de subinvestimento e envelhecimento das estações de energia. “Não pode ser satisfatório para uma economia avançada como o Reino Unido contar com centrais elétricas poluentes de 50 anos de idade, alimentadas com carvão. Deixe-me ser clara: este não é o futuro.” Atualmente, 30% da energia no Reino Unido vêm dessa fonte.

A medida foi recebida com cautela por ambientalistas. Ao Guardian, David Nussbaum, diretor-executivo da WWF, afirmou que é positiva a eliminação progressiva do carvão, mas questionou a estratégia pouco ambiciosa em energias renováveis, no momento em que a geração eólica e solar cresce no mundo todo.

“Descarbonizar a nossa economia vai envolver uma mistura de tecnologias”, disse. “Outros países estão aproveitando o fato de que cerca de metade da infraestrutura energética global em construção hoje é renovável. E com a queda dos preços das renováveis, o mercado global cresce. A Grã-Bretanha está feliz em ser deixada para trás?”

De acordo com a secretária de Energia e Mudanças Climáticas, o objetivo é uma política que se concentre em tornar a energia acessível economicamente e segura. Segundo o Guardian, a secretária também afirmou que “o saldo oscilou demais em favor de políticas de mudança climática à custa de manter a energia a preços acessíveis.”

Recentemente, o vazamento de uma carta que revelou que o Reino Unido deve ficar aquém das suas obrigações com a União Europeia para obter 15% de fontes renováveis ​​até 2020. Sob pressão, a secretária admitiu que o Reino Unido não temas políticas certas para cumprir suas metas de descarbonização e argumentou que o governo deve manter os subsídios para a geração de renováveis na revisão de gastos.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Instituto Humanitas Unisinos - IHU - Reino Unido fechará usinas de carvão em 2025