Regiões da Amazônia têm risco de incêndios florestais até o fim do ano

Revista ihu on-line

Gênero e violência - Um debate sobre a vulnerabilidade de mulheres e LGBTs

Edição: 507

Leia mais

Os coletivos criminais e o aparato policial. A vida na periferia sob cerco

Edição: 506

Leia mais

Giorgio Agamben e a impossibilidade de salvação da modernidade e da política moderna

Edição: 505

Leia mais

Mais Lidos

  •  “A classe média é feita de imbecil pela elite”. Entrevista com Jessé Souza

    LER MAIS
  • "O bom padre sabe denunciar, com nome e sobrenome", segundo o Papa Francisco

    LER MAIS
  • A linguagem secreta da moda, símbolo de fragilidade

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

05 Novembro 2015

O risco de incêndios florestais vai começar a diminuir, em todo o país, a partir deste mês, segundo análise do Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais, do Ibama.

A reportagem é de Graziele Bezerra, publicada por Radioagência Nacional, 03-11-2015.

Mas segundo o chefe do Prev-fogo, Gabriel Zacarias, alguns pontos da região amazônica ainda podem sofrer com focos de calor até o fim do ano.

Sonora: “Está se encerrando o período de seca, começando a entrar no período chuvoso, mas isso pode demorar ainda uns dois meses. Novembro, dezembro, a gente tende a ter uma situação mais complicada ainda de incêndios. A borda norte, leste dessa região – Roraima, Amapá, Pará, Maranhão – são as áreas onde para esse período a gente ainda tem um risco maior de incêndios. A região mais a oeste: Acre, Rondônia, o sul também ali no Maranhão, e o próprio estado do Amazonas, já tem um risco menor de incêndios. Já está chovendo inclusive nessas áreas.”

Os meses de setembro e outubro foram particularmente quentes e secos no Norte brasileiro. Em estados como Amazonas, Mato Grosso, Rondônia, Roraima e Tocantins, os focos de incêndio registrados superaram os dados do ano passado.

No Amazonas, por exemplo, o Instituto de Pesquisas Espaciais registrou até esse início de novembro, cerca de 13.600 focos de incêndio. No ano passado foram cerca de 9 mil.

Gabriel Zacarias diz que a culpa desse descompasso climático é do fenômeno El Niño.

Sonora: “O El Niño é um fenômeno que, para região Norte do país ele causa diminuição da quantidade de chuva e diminuição da umidade do ar. Então, o El Nino, esse efeito climático que acontece de anos em anos, ele tem, para região Norte um efeito de seca. Então, chuvas abaixo da média, que é o que está acontecendo em toda a região Norte e nesse caso mais específico, na região Amazônica.”

O Prevfogo estima que 95% dos incêndios florestais sejam provocados pelo homem. O instituto orienta que se evitem queimadas de pasto nas épocas mais secas do ano.

Para ouvir o áudio da notícia em seu player e/ou fazer o download do arquivo MP3 clique aqui.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Instituto Humanitas Unisinos - IHU - Regiões da Amazônia têm risco de incêndios florestais até o fim do ano