Grupo ambientalista católico agradece Francisco por ressaltar a urgência climática

Revista ihu on-line

Bioética e o contexto hermenêutico da Biopolítica

Edição: 513

Leia mais

Revolução Pernambucana. Semeadura de um Brasil independente, republicano e tolerante

Edição: 512

Leia mais

Francisco Suárez e a transição da escolástica para a modernidade

Edição: 511

Leia mais

Mais Lidos

  • Mantido o ritmo atual, Brasil levará 200 anos para levar ensino médio a todos os jovens, mostra pesquisa

    LER MAIS
  • Para fiscal, só falta dizer que é preciso ter correntes para definir trabalho escravo

    LER MAIS
  • 'Sobram evidências de que o governo está do lado de quem explora o trabalho escravo e não de quem é explorado'

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

22 Junho 2015

Uma rede climática católica global agradeceu ao Papa Francisco pela Laudato si' e pelo seu chamado a todas as pessoas para participar da responsabilidade compartilhada de cuidar de criação e "proteger a nossa casa comum".

A reportagem é de Brian Roewe, publicada no sítio National Catholic Reporter, 18-06-2015. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

"Estamos gratos porque a liderança do Papa Francisco, na publicação dessa encíclica, destacou a urgência de agir sobre as mudanças climáticas", disse o Global Catholic Climate Movement [Movimento Climático Católico Global] em um comunicado de imprensa, antes de fazer referência a um parágrafo da encíclica que afirma que "os seres humanos, capazes de tocar o fundo da degradação, também podem se superar, voltar a escolher o bem e regenerar-se, para além de qualquer condicionalismo psicológico e social que lhes seja imposto".

O grupo foi formado em janeiro, antes da viagem do papa às Filipinas, um país insular visto como extremamente vulnerável às mudanças climáticas. Em meados de maio, o papa apoiou, através da assinatura de um assessor em seu nome, o abaixo-assinado do grupo que exige reduções drásticas das emissões de carbono em um esforço para manter o aumento da temperatura global abaixo de 1,5ºC e para ajudar os pobres na sua adaptação ao impactos das mudanças climáticas.

O movimento climático católico disse apoiar a descrição de Francisco sobre o clima como um bem comum, assim como o seu apelo ao diálogo e a uma nova solidariedade global. Sobre a questão das energias limpas, ele disse que a tecnologia está disponível para assegurar esse desenvolvimento em todo o mundo.

"Todos devemos refletir em espírito de oração, com a encíclica, sobre como podemos mais bem colocar as nossas mãos na tarefa de mover as nossas economias e instituições para acelerar o ritmo para um futuro de energia renovável", disse o movimento.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Instituto Humanitas Unisinos - IHU - Grupo ambientalista católico agradece Francisco por ressaltar a urgência climática