Existiram sacerdotisas na Igreja primitiva?

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • “O risco que eu estou correndo é cada vez maior, e a responsabilidade vocês sabem de quem é”, denuncia padre Júlio Lancellotti

    LER MAIS
  • A nova encíclica de Francisco nascida do diálogo com o Islã e do Covid. Artigo de Alberto Melloni

    LER MAIS
  • Padre Julio Lancellotti recebe novas ameaças após ataques virtuais de deputado

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: Jonas | 25 Novembro 2013

Existiram sacerdotisas na Igreja Primitiva? Francisco parece decidido a abrir o debate sobre o papel da mulher nos postos de responsabilidade no seio da Igreja. Sem que se tenha discutido oficialmente o assunto, não são poucos os que sonham com a possibilidade da abertura do sacerdócio para a mulher. No momento, a descoberta de alguns afrescos nas Plataformas de Priscila, que contam com mulheres elevando os braços na posição da benção eucarística, voltaram a agitar o debate.

 
Fonte: http://goo.gl/Jkp1Ks  

A reportagem é publicada por Religión Digital, 22-11-2013. A tradução é do Cepat.

As catacumbas, na Via Salaria de Roma, foram completamente reabertas após um projeto de cinco anos que inclui tecnologia laser para limpar algum dos antigos afrescos e um novo museu para abrigar fragmentos de sarcófagos de mármore restaurados.

Os amantes da arte e curiosos de todo o mundo, que não consigam ir a Roma, podem se unir ao debate fazendo uma visita virtual neste labirinto subterrâneo, por meio do Google Maps, uma associação que combina antiguidade com a tecnologia mais moderna.

As Plataformas de Priscila, que se constituíram em locais de sepultamento cristão, entre os séculos II e V, e que se desdobram por 13 quilômetros, em vários níveis, contêm afrescos de mulheres que provocaram um debate acadêmico durante muitos anos.

Um deles, numa sala chamada Cubículo da velatio, mostra uma mulher com os braços abertos como os dos sacerdotes quando presidem a missa. Está com o que a página web italiana das catacumbas chama de “rica vestimenta litúrgica”. A palavra “litúrgica” não aparece na versão em inglês.

Também utiliza o que parece ser uma estola, uma vestimenta que os sacerdotes usam. Outro afresco, em uma sala conhecida como A capela grega, mostra um grupo de mulheres sentadas ao redor de uma mesa, com os braços abertos como os dos sacerdotes.

As organizações que promovem o sacerdócio feminino, como a Conferência de Ordenação de Mulheres e a Associação de Mulheres Católicas, destacaram estas cenas antigas como prova do sacerdócio feminino na Igreja Primitiva. Porém, o Vaticano contesta essas interpretações.

“Esta é uma fabricação que não tem fundamento na realidade”, disse Barbara Mazzei, da Comissão Pontifícia sobre Arqueologia Sagrada, na apresentação da restauração, na terça-feira.

“Isto é um conto de fadas, uma lenda”, disse o professor Fabrizio Bisconti, superintendente dos sítios da herança arqueológica religiosa propriedade do Vaticano, que inclui numerosas catacumbas espalhadas nos arredores de Roma. Disse que essas interpretações eram “sensacionalistas e não eram confiáveis em absoluto”.

Bisconti sustentou que o afresco da mulher em um gesto de sacerdote rezando é “uma representação de uma pessoa morta, agora no paraíso”, e que as mulheres sentadas na mesa participam em um banquete por um funeral, não em um encontro eucarístico.

A Igreja ensina que as mulheres não podem ser sacerdotes porque Jesus escolheu voluntariamente apenas homens como seus apóstolos.

Giorgia Abeltino, chefe de política pública do Google Itália, disse que foram desenvolvidos instrumentos especiais e câmeras menores para o projeto de visita virtual, que é semelhante ao Street View do Google, exceto porque explora as entranhas da antiga Roma.

As catacumbas de Priscila também são famosas por um afresco que segundo os especialistas é a imagem mais antiga da Virgem e o menino, que data de aproximadamente 230 antes de Cristo.

Perdidas durante séculos, após suas entradas serem fechadas na antiguidade, as catacumbas foram redescobertas no século XVI, com o saque de muitas de suas lápides, sarcófagos e cadáveres. As escavações na época moderna começaram no século XIX.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Existiram sacerdotisas na Igreja primitiva? - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV