“As JMJ não são suficientes para transmitir a fé”, afirma cardeal Rylko

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Mais de 50 mil assinaturas exigem proteção para o Padre Júlio Lancellotti

    LER MAIS
  • Massacragem dos Chiquitanos vai à ONU. Artigo de Aloir Pacini

    LER MAIS
  • Um confinamento frutífero: em que o papa Francisco trabalhou durante a pandemia?

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: André | 28 Novembro 2012

A declaração do presidente do Pontifício Conselho para os Leigos foi feita durante o encontro no Rio de Janeiro, em preparação à próxima Jornada Mundial da Juventude.

A reportagem está publicada no sítio Vatican Insider, 26-11-2012. A tradução é do Cepat.

“As Jornadas Mundiais da Juventude, em si mesmas, não são suficientes para orientar e educar os jovens na fé. Devem ser inseridas e integradas na pastoral juvenil ordinária, mediante um trabalho paciente e cotidiano”.

A afirmação é do presidente do Pontifício Conselho para os Leigos, o cardeal Stanislaw Rylko, durante os trabalhos desta manhã no encontro preparativo da próxima Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro.

“As JMJ são parte integral e força propulsora pastoral da Igreja para os jovens, têm um peso importante para sua evangelização”, disse o cardeal, segundo indicou o Sir. Contudo, “ao redor delas sempre tem que estar a obra educativa das dioceses, paróquias, movimentos e agregações”, porque “as JMJ devem ser preparadas adequadamente”, se se pretende recolher seus frutos na vida de fé.

As intervenções do arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani João Tempesta, e do Núncio apostólico no Brasil, dom Giovanni D’Aniello, também foram muito importantes. Ambos destacaram que os “jovens que irão ao Rio de Janeiro em julho próximo oferecerão à cidade e a todo o país um grande testemunho da fé alegre, contagiosa e, ao mesmo tempo, madura”.

O arcebispo Tempesta citou uma carta dos pais da beata Chiara Luce Badano, uma dos treze intercessores da JMJ do Rio. No texto lido pelo arcebispo do Rio de Janeiro, os pais da menina expressam seu desejo para que o exemplo de sua filha Chiara “possa contribuir e servir como modelo e escola para a vida de muitos jovens que buscam, inclusive em tempos tão difíceis, dar um sentido às suas vidas”. A carta conclui com o anúncio de que os pais de Chiara Luce estarão presentes na JMJ do Rio de Janeiro.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“As JMJ não são suficientes para transmitir a fé”, afirma cardeal Rylko - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV