Estados Unidos. Os católicos em defesa do “Obamacare”

Revista ihu on-line

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Mais Lidos

  • Desigualdade bate recorde no Brasil, mostra estudo da FGV

    LER MAIS
  • Livro analisa os teólogos, a virada ecumênica e o compromisso bíblico do Vaticano II

    LER MAIS
  • As trapaças do gozo individual

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: André | 12 Setembro 2012

Na Convenção republicana de Tampa, o candidato a vice-presidente Ryan, católico praticante, indicou que, caso vencer as eleições, implantaria um drástico corte do orçamento do gasto social. Uma resposta duríssima à sua linha ultraliberal veio imediatamente de uma das vozes mais populares do catolicismo dos Estados Unidos; uma bofetada no “ticket” republicano e, sobretudo, uma defesa do “Obamacare”.

A reportagem é de Giacomo Galeazzi e está publicada no sítio Vatican Insider, 10-09-2012. A tradução é do Cepat.

A resposta foi dada pela Irmã Simone Campbell na Convenção democrata de Charlotte; a freira se tornou célebre após liderar, durante o verão, um “tour” nacional pela justiça social. A religiosa reprovou Ryan e desmentiu sua afirmação de que os cortes do orçamento “refletem os princípios da nossa fé”.

Na realidade, disse a religiosa, “a Conferência episcopal dos Estados Unidos declarou que cortar drasticamente o gasto social vai contra um princípio moral fundamental, posto que prejudica as famílias que vivem na pobreza”.

Assim que, declarou em público, “nós, as freiras, estamos de acordo com nossos bispos porque operamos entre as pessoas, estamos na rua: o trabalho de nossas atividades caritativas que remediam os sofrimentos de tantas pessoas se veria afetado pelo programa dos cortes anunciados por Ryan”.

Foi a primeira vez que a Irmã Simone Campbell falou de um palco tão importante, quando pronunciou seu discurso na Convenção do Partido Democrata, em Charlotte (Carolina do Norte). Ela pertence à Congregação das “Sisters of Social Service”, além de ser advogada e diretora executiva do organismo Network, que se ocupa com a justiça social e econômica, razão pela qual recebeu os insistentes convites dos Democratas, segundo informou a agência Adista.

Sua presença foi muito importante num momento em que a ofensiva da hierarquia da Igreja católica contra a Administração Obama se tornou mais intensa, sobretudo depois da aprovação da lei que obriga todos os empregadores a oferecer aos próprios empregados um kit sanitário que reembolse inclusive os gastos com anticoncepcionais ou fármacos abortivos.

Uma medida que, evidentemente, poderia afastar os democratas da parte católica do eleitorado. A presença da Irmã Campbell na Convenção foi o símbolo da resistência feminista diante de uma suposta guerra contra as mulheres declarada pelo adversário do Great Old Party.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Estados Unidos. Os católicos em defesa do “Obamacare” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV