Manual para que os sacerdotes sejam bons confessores

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Covid-19: 'Pandemia no Sul caminha para agravamento sem precedentes', diz epidemiologista

    LER MAIS
  • Ailton Krenak: “A Terra pode nos deixar para trás e seguir o seu caminho”

    LER MAIS
  • Alemanha. 76 irmãs franciscanas de um mesmo mosteiro testam positivo ao coronavírus

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


15 Julho 2011

O papa está preocupado com o afastamento de muitos católicos do sacramento da confissão e, por isso, decidiu tomar uma atitude a respeito, comprometendo-se ele mesmo a ouvir os pecados de um grupo de jovens. De acordo com o Vaticano, no próximo dia 20 de agosto, durante a Jornada Mundial da Juventude, que se realizará em Madri (Espanha), o pontífice confessará alguns dos participantes, em um gesto sem precedentes, pelo menos durante esse encontro.

A reportagem é do sítio Religión Digital, 14-07-2011. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

A preocupação de Bento XVI foi recebida também pela Congregação para o Clero da Santa Sé, que acaba de publicar uma série de recomendações sobre o assunto, em um documento de 72 páginas dirigido aos sacerdotes católicos de todo o mundo.

O sacerdote, ministro da misericórdia divina. Subsídio para confessores e diretores espirituais é o título do texto.

"É necessário voltar ao confessionário, como lugar no qual celebrar o sacramento da reconciliação, mas também como lugar onde "habitar’ com mais frequência, para que o fiel possa encontrar misericórdia, conselho e conforto", indica o texto.

Essas palavras foram pronunciadas originalmente pelo Papa Bento XVI durante um encontro com confessores, que ocorreu em Roma no início de 2010 por ocasião do Ano Sacerdotal.

A introdução do "subsídio" afirma que o bispo de Roma indicou a todos a importância e a consequente urgência apostólica de redescobrir o sacramento da reconciliação, seja como penitente, seja como ministro.

"A reconciliação com Deus é inseparável da reconciliação com os irmãos. Essa reconciliação não é possível sem purificar de algum modo o próprio coração", apontou.

Elaborado pela Congregação para o Clero, o documento é assinado pelo seu prefeito, o cardeal Mauro Piacenza, e o secretário do dicastério, Dom Celso Morga, que disse: "Que os sacerdotes possam descobrir de novo o valor pastoral desses meios simples, muito comuns, que parecem não ter força pastoral, mas que são muito poderosos se soubermos administrá-los bem e se valorizarmos o fato de estarmos disponíveis para administrá-los".

A primeira parte do texto explica em que consiste o sacramento da Penitência e dá indicações práticos sobre como administrá-lo e recebê-lo melhor. Por exemplo, inclui um exame de consciência só para sacerdotes.

"Que os sacerdotes sejam muito disponíveis para as confissões e a direção espiritual e que, ao mesmo tempo, eles, e também eu, nos confessemos frequentemente e tenhamos a direção espiritual", disse Dom Morga.

A segunda metade do texto explica a doutrina sobre a direção espiritual, ensina a ajudar outras almas e como se deixar ajudar por um diretor espiritual.

O documento foi enviado a todas as conferências episcopais do mundo e está disponível aqui (em português), no site da Congregação para o Clero.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Manual para que os sacerdotes sejam bons confessores - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV