T. S. Eliot na oração inter-religiosa desta semana

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • “Não seremos salvos pelo moralismo, mas pela caridade”. Artigo do Papa Francisco

    LER MAIS
  • A contagem regressiva para a próxima pandemia

    LER MAIS
  • Carta de alerta a todas as autoridades políticas e sanitárias brasileiras sobre a Covid-19

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


20 Abril 2018

Neste espaço se entrelaçam poesia e mística. Por meio de orações de mestres espirituais de diferentes religiões, mergulhamos no Mistério que é a absoluta transcendência e a absoluta proximidade. Este serviço é uma iniciativa feita em parceria com o Prof. Dr. Faustino Teixeira, teólogo, professor e pesquisador do PPG em Ciências da Religião da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Quarta feira de cinzas 1

“(...) Porque não espero conhecer novamente
A frágil glória da hora positiva
Porque não penso
Porque sei que nada saberei
Do único verdadeiro poder transitório
Porque não posso beber
Lá, onde árvores florescem, e fontes jorram, pois nada mais há.

Porque sei que tempo é sempre tempo
E lugar é sempre E apenas lugar
E o que é atual é atual só por um tempo
E apenas para um lugar
Alegro-me por serem as coisas como são e
Renuncio à santa face
E renuncio à voz
Porque não posso esperar voltar
Consequentemente me alegro, tendo de construir algo
Pelo que me alegrar (...)”

T. S. Eliot


Fonte: Karen Armstrong. A escada espiral. Memórias. São Paulo: Companhia das Letras, 2005, p. 22 e 24.

T. S. Eliot | Foto: Ellie Koczela - Creative Commons

Thomas Stearns Eliot (1888-1965): Poeta norte-americano radicado na Inglaterra - fato que marcou sua obra - ele é visto como um dos ícones de maior influência na poesia, tendo recebido o Prêmio Nobel de Literatura em 1948. Escritor modernista, também trabalhou como dramaturgo e crítico literário inglês. Entre seus poemas mais célebres, encontram-se: The Love Song of J. Alfred Prufrock, Portrait of a Lady, Preludes, Sweeney among the Nightingales, The Waste Land, Ariel Poems e Unfinished Poems, ambos incluídos nos Collected Poems 1909-1935, Four Quartets.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

T. S. Eliot na oração inter-religiosa desta semana - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV