Levar Jesus a sério

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Liberdade e igualdade não bastam: uma cartilha sobre a Fratelli tutti. Artigo de Charles Taylor

    LER MAIS
  • A Economia Anticapitalista dos Franciscos e das Claras

    LER MAIS
  • “O racismo estrutura a sociedade brasileira, está em todo lugar”. Entrevista com Djamila Ribeiro

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


14 Setembro 2018

A leitura que a Igreja propõe neste domingo é o Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos 8,27-35 7 que corresponde ao 24° Domingo do Tempo Comum, ciclo B, do Ano Litúrgico. O teólogo espanhol José Antonio Pagola comenta o texto. 

Eis o texto

O episódio de Cesarea de Filipo ocupa um lugar central no evangelho de Marcos. Depois de um tempo de convívio com Ele, Jesus faz aos Seus discípulos uma pergunta decisiva: «Quem dizeis que Eu sou?». Em nome de todos, Pedro responde sem duvidar: «Tu és o Messias». Por fim parece que tudo está claro. Jesus é o Messias enviado por Deus, e os discípulos seguem-no para colaborar com Ele.

Mas Jesus sabe que não é assim. Todavia falta-lhes aprender algo muito importante. É fácil professar Jesus com palavras, mas ainda não sabem o que significa segui-Lo de perto partilhando o Seu projeto e o Seu destino. Marcos diz que Jesus «começou a ensiná-los» que teriam de sofrer muito. Não é um ensinamento mais, mas algo fundamental que os discípulos terão de ir assimilando pouco a pouco.

Desde o início que lhes fala «com toda a clareza». Não lhes quer ocultar nada. Têm de saber que o sofrimento os acompanhará sempre na sua tarefa de abrir caminhos para o reino de Deus. No final será condenado pelos dirigentes religiosos e morrerá executado violentamente. Só ao ressuscitar se verá que Deus está com Ele.

Pedro rebela-se perante o que está ouvindo. A sua reação é incrível. Leva Jesus consigo e fala com Ele à parte para o «censurar». Tinha sido o primeiro a reconhecê-lo como Messias. Agora é o primeiro a rejeitá-Lo. Quer fazer ver a Jesus que o que está dizendo é absurdo. Não está disposto a que siga esse caminho. Jesus deve alterar essa forma de pensar.

Jesus reage com uma dureza desconhecida. De repente vê em Pedro os traços de Satanás, o tentador do deserto que procura afastá-Lo da vontade de Deus. Volta-se para os discípulos e «repreende» literalmente Pedro com estas palavras: «Afasta-te de Mim, Satanás»: volta a ocupar o teu lugar de discípulo. Deixa de tentar-me. «Os teus pensamentos não são os de Deus, mas os dos homens.»

Logo chama as pessoas e os Seus discípulos para que escutem bem as Suas palavras. Irá repeti-las em diversas ocasiões. Não devem esquecê-las jamais. «Se alguém quiser vir comigo, que renuncie a si mesmo, que carregue a sua cruz e que me siga.»

Seguir Jesus não é obrigatório. É uma decisão livre de cada um. Mas temos de levar a sério Jesus. Não bastam confissões fáceis. Se quisermos segui-lo na Sua tarefa apaixonante de fazer um mundo mais humano, digno e ditoso, temos de estar dispostos a duas coisas. Primeiro, renunciar a projetos ou planos que se oponham ao reino de Deus. Segundo, aceitar os sofrimentos que nos podem chegar por seguir Jesus e nos identificarmos com a sua causa.

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Levar Jesus a sério - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV