Mineradora ilegal destrói nascente e reserva de reassentamento em Minas Gerais!

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Pedro descansa onde ele sonhou, na beira do Araguaia, entre um peão e uma prostituta

    LER MAIS
  • Covid-19: Estudo indica como a pandemia do novo coronavírus chegou e se disseminou pelo Brasil

    LER MAIS
  • “A pandemia econômica será de uma brutalidade desconhecida”. Entrevista com Ignacio Ramonet

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


10 Novembro 2018

CPT Minas Gerais denuncia, em Nota Pública, destruição de área de reserva de reassentamento em Botumirim, norte mineiro. De acordo com o documento: "A mineradora não tem licença ambiental para explorar esta área. Já foram feitas denúncias no IBAMA, SUPRAM NM, Ouvidoria do Estado de Minas e Ministério Público. A PM do município de Grão Mogol já vistoriou a área e mesmo assim a degradação continua". Confira:

Eis a nota.

Uma mineradora destroi de forma ilegal área de reserva de reassentamento em Botumirim, norte de Minas Gerais (região atingida pela barragem de Irapé). A mineradora não tem licença ambiental para explorar esta área. Já foram feitas denúncias no IBAMA, SUPRAM NM, Ouvidoria do Estado de Minas e Ministério Público. A PM do município de Grão Mogol já vistoriou a área e mesmo assim a degradação continua.

A comunidade reuniu-se com representantes da SUPRAM NM e constatou que a empresa não tem licença ambiental. Uma empresa com nome de FHAE Granitos do Brasil tem um registro no DNPM nesta área. Mas mesmo sem licença e já vistoriada pela PM a empresa continua destruindo.

A empresa, segundo moradores locais, vem explorando a área de forma intensiva, trabalhando também no período noturno. O local tem a vegetação de Campos de Altitude, remanescente de Mata Atlântica, e é uma região de nascente e recarga do córrego Saquinho, que abastece uma pequena barragem que fornece água para toda a região. O local é no pé da serra conhecida como Cabeça do Gigante, com reconhecido patrimônio arqueológico, inclusive áreas vizinhas estão inseridas no parque Estadual de Botumirim.

A empresa usa explosivos sem autorização (não encontramos autorização nos documentos do processo ambiental na SUPRAM) e moradores residem à menos de 1 km da área que está sendo destruída.

Essa mineradora está trazendo sérios problemas para a comunidade que está denunciando, mas até agora sem resultados. No dia 7 de novembro uma mulher grávida teve princípio de aborto que agora está sendo avaliada em hospital de Montes Claros. O clima de tensão e indignação na comunidade é grande.

A constituição só vale para os ricos??? Mineradoras sofrem com a morosidade do licenciamento ambiental?? É assim que vamos enfrentar a crise da água??

Em defesa da nossa Casa Comum!!!

Pedimos providências urgentes!!!!

Montes Claros (MG), 09 de novembro de 2018.
Comissão Pastoral da Terra Minas Gerais

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Mineradora ilegal destrói nascente e reserva de reassentamento em Minas Gerais! - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV