Adolescentes utilizam cada vez menos o Facebook e preferem o YouTube e Instagram

Revista ihu on-line

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Mais Lidos

  • Aumento da miséria extrema, informalidade e desigualdade marcam os dois anos da Reforma Trabalhista

    LER MAIS
  • Hospitalidade eucarística: “A decisão passa agora para a Conferência Episcopal”

    LER MAIS
  • Mais um golpe... em nome de Deus

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

05 Junho 2018

Em apenas três anos, o número de adolescentes que dizem utilizar o Facebook nos EUA desceu de 71% para 51%. E apenas 10% elege a rede como a sua preferida.

A reportagem é de Claudia Carvalho Silva, publicada por Público, 01-06-2018.

O Facebook deixou de ser a rede social mais utilizada e popular entre os adolescentes, estatuto que conservou durante vários anos, de acordo com um estudo do Pew Research Center publicado esta quinta-feira. Com base numa sondagem feita nos Estados Unidos a jovens entre os 13 e os 17 anos, só metade dos inquiridos (51%) diz ainda usar o Facebook, uma descida de 28% (e de 20 pontos percentuais) face a 2015, quando a rede liderava a tabela das plataformas mais utilizadas, sendo referida por 71% dos inquiridos.

O valor é inferior ao dos adolescentes que dizem utilizar o YouTube (85%), o Instagram (72%) e o Snapchat (69%), plataformas que têm conquistado cada vez mais margem de mercado entre os jovens. Atrás do Facebook está o Twitter (utilizado por 32% dos inquiridos), o Tumblr (9%) e o Reddit (7%).

Questionados sobre qual a rede que usam mais frequentemente, o Facebook volta a ficar em quarto lugar na lista de preferências dos inquiridos: o Snapchat é a plataforma mais utilizada por 35% dos adolescentes norte-americanos, seguido pelo YouTube (32%) e pelo Instagram (15%, detido pelo Facebook). O Facebook é a rede preferida de apenas 10% dos inquiridos.

O mesmo estudo indica que, atualmente, 95% dos adolescentes norte-americanos tem acesso a um smartphone. Há três anos, esta percentagem ficava-se pelos 73%. O relatório revela também que 45% dos inquiridos dizem estar online “quase sempre” (apenas 24% em 2015). As raparigas são as que passam mais tempo ligadas: metade das inquiridas diz estar quase sempre online, contra 39% dos rapazes.

45% dos jovens dizem estar quase sempre online, com 95% dos inquiridos a ter acesso a smartphones

Este não é o primeiro estudo a sugerir que o Facebook está a perder a liderança junto do público mais jovem: em Fevereiro deste ano, a analista de mercado eMarketer (propriedade do grupo de media alemão Axel Springer) apontava para uma queda dos utilizadores entre os 12 e os 24 anos, ainda que muitos deles migrassem para o Instagram, também detido por Mark Zuckerberg. “O Facebook tem a sorte de deter o Instagram, que continua a ser uma plataforma influente entre os jovens”, dizia a analista da eMarketer, Debra Aho Williamson, na altura em que foi divulgado o relatório.

Em termos absolutos, porém, o Facebook continua a ser a rede social mais utilizada a nível mundial, com mais de dois mil milhões de utilizadores ativos por mês.

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Adolescentes utilizam cada vez menos o Facebook e preferem o YouTube e Instagram - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV