14 de dezembro: homenagens marcam o primeiro ano sem o cardeal Paulo Arns

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • Opositores do papa: continuem assim

    LER MAIS
  • Papa Francisco condena perseguição antigay e está preocupado com “cura gay”

    LER MAIS
  • Católicos e anglicanos - Trabalhar juntos para bem da humanidade, diz secretário do Vaticano

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

14 Dezembro 2017

Completa-se nesta quinta-feira, 14 de dezembro, um ano do falecimento do cardeal Paulo Evaristo Arns. Várias iniciativas foram tomadas para marcar a data. Uma delas será a apresentação de um documentário produzido Ricardo Carvalho, “Coragem – As muitas vidas do cardeal Dom Paulo Evaristo Arns”. 

O filme será exibido simultaneamente em sete capitais: São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Porto Alegre, Curitiba, Brasília e Belo Horizonte. A iniciativa é do Espaço Itaú de Cinema. O jornalista Ricardo Carvalho também é conselheiro do Instituto Vladimir Herzog.

 

Foto: Arquivo/Agência Brasil.

A notícia é publicada por Conferência Nacional dos Bispos Brasileiros - CNBB, 13-12-2017.

Segundo informações do Instituto Valdimir Herzog, o documentário teve incentivo da Agência Nacional de Cinema (Ancine), o filme é uma realização da TVM Produções, com coprodução da Globo Filmes e da Globo News, patrocínio do Itaú e Instituto Arapyaú e apoio do Instituto Vladimir Herzog. Ricardo Carvalho é autor de dois livros sobre o religioso, inclusive uma biografia: O Cardeal e o Repórter – e a biografia O Cardeal da Resistência.

Carvalho afirma que o documentário irá retratar as muitas facetas do trabalho do cardeal, com destaque para o combate à ditadura militar e sua ação junto ao povo de rua. “Ele foi a primeira pessoa a dizer publicamente que o jornalista Vladimir Herzog havia sido assassinado e não cometido suicídio. Foi uma figura muito importante para a história de São Paulo e do país”.

Livro

Outra iniciativa para homenagear dom Arns é o relançamento do livro “Dom Paulo, um homem amado e perseguido” das jornalistas Evanize Sidow e Marilda Ferri nesta quarta-feira, 13 de dezembro, no auditório do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), na Praça da República, 282, às 19h, . Na mesa do relançamento terá a presença das autoras, do teólogo Frei Betto, do jurista Fábio Konder Comparato, do pastor Ariovaldo Ramos, da vereadora Sâmia Bonfim e da desembargadora Kenarik Boujikian.

A história de lutas do arcebispo inspirou as jornalistas Evanize Sidow e Marilda Ferri a escreverem uma biografia sobre ele quando ainda estavam na faculdade, em 1999.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

14 de dezembro: homenagens marcam o primeiro ano sem o cardeal Paulo Arns - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV