Livro joga luz sobre personagens da Constituinte de 1988

Revista ihu on-line

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Mais Lidos

  • Como a ciência defende a floresta. Entrevista com Carlos Afonso Nobre

    LER MAIS
  • Santa Irmã Dulce, a ''Madre Teresa brasileira''. Bolsonaro ausente

    LER MAIS
  • Aos 15 anos da morte do filósofo francês Jacques Derrida, o último subversivo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

25 Julho 2017

O excesso de sobressaltos da política brasileira nos últimos 30 anos tem se tornado um obstáculo para quem se lança a abordagens aprofundadas de episódios relevantes do período. Resta pouco tempo para recontar o passado, e refletir sobre ele, quando o fato novo se impõe. E, não raro, a notícia de hoje nos leva a reinterpretar a notícia de ontem.

A reportagem é de Naieff Haddad, publicada por Folha de S. Paulo, 23-07-2017.

Talvez essa dinâmica frenética tenha contribuído para um tratamento insuficiente da Constituinte em livros jornalísticos. Sobre esse tema, há um sem-número de obras de caráter jurídico, mas faltam narrativas que se destinem a um público mais abrangente.

Nesse sentido, o lançamento de "1988: Segredos da Constituinte", de Luiz Maklouf Carvalho, merece celebração. Não é o livro definitivo sobre a "Constituição Cidadã", como a batizou Ulysses Guimarães, o grande artífice do texto constitucional. Esta obra ainda está por vir.

Mas o trabalho de Maklouf joga luz sobre erros e acertos construídos ao longo de 20 meses de Assembleia Constituinte por meio de 43 entrevistas exclusivas com a maior parte dos protagonistas do processo.

A Constituição, aliás, é tema atualíssimo. O Ministério Público, que hoje alcança máxima visibilidade com a Operação Lava Jato, só ganhou poder, de fato, em 1988.

Outro mérito do livro é reavaliar a efetividade das ações dos parlamentares envolvidos. Alguns personagens chegam engrandecidos ao fim da leitura de mais de 500 páginas –Ulysses é o principal exemplo. Outros saem menores, por razões distintas.

Um deles é José Sarney, que herdou a Presidência da República após a morte de Tancredo Neves. Há abundância de relatos a respeito do modus operandi do maranhense. Para que a Constituinte aprovasse os cinco anos de mandato para o chefe do governo, as concessões de rádios país afora foram usadas largamente como moeda de troca. Sarney é criticado, inclusive, pelos ministros que integraram seu governo, como Bresser-Pereira.

Mário Covas (1930-2001), então líder do PMDB, também é alvo de diversas ressalvas. O comportamento irascível surge como o menor dos problemas. Entrevistados que eram próximos de Covas atribuem a ele o veto a uma proposta que poderia viabilizar a implantação do regime parlamentarista.

As referências a Lula tampouco são elogiosas, independentemente do matiz ideológico de quem fala a Maklouf. Somam-se a atuação acanhada –o líder petista nunca se entusiasmou pela atividade parlamentar– e a inflexibilidade programática. Lula, aliás, se recusou a conceder entrevista ao autor.

A sucessão de entrevistas consolida sínteses, mas também evidencia contradições. Elas formam uma grande narrativa, mas são instigantes ainda que vistas isoladamente.

A variedade e o peso dos entrevistados –do general Leônidas Pires Gonçalves ao sindicalista Jair Meneghelli, de Fernando Henrique Cardoso a Delfim Neto– pouco valeriam não fosse o preparo e a sagacidade do entrevistador. Maklouf nos ajuda a entender o Brasil de ontem e de hoje.

1988: Segredos da Constituinte

Autor: Luiz Maklouf Carvalho

Editora: Record (504 págs.)

Quanto: R$ 64,90

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Livro joga luz sobre personagens da Constituinte de 1988 - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV