Desmatamento na Amazônia causou morte ou deslocamento de mais de 4 milhões de aves

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Os Padres da Caminhada se solidarizam com o padre Riva, vítima de racismo em Alfenas – MG

    LER MAIS
  • Acabemos com o sistema clerical

    LER MAIS
  • O que a dor nos ensina. Artigo de Corrado Augias

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


25 Março 2017

Mais de 4 milhões de aves e cerca de 140 mil macacos foram mortos ou tiveram que se deslocar por causa do desmatamento em unidades de conservação na Amazônia. Os dados são da organização Imazon – Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia.

A reportagem é de Maíra Heinen, publicada por Radioagência Nacional, 24-03-2017 

O estudo divulgado pela instituição, nesta semana, mostra que entre 2012 e 2015, de todo o desmatamento na Amazônia, o percentual das ocorrências em unidades de conservação é de 12%. Um dado alarmante, visto que deveriam ser as áreas mais protegidas para conservação de animais e plantas.

Uma das autoras da pesquisa, Elis Araújo ressalta que em relação à fauna atingida, os números são altos, mas ainda subestimados.

Sonora: “Nós fizemos uma estimativa com base no total desmatado em toda a Amazônia Legal, e com base em um estudo desenvolvido por pesquisadores do museu Emílio Goeldi, nós fizemos essa estimativa de quanto é que se teria perdido em aves e macacos. Então nós chegamos a alguns números bem significativos. Mas são com certeza dados subestimados. O impacto é bem maior.”

As principais causas do desmatamento, são ocupações e exploração madeireira ilegais. Elis explica porque essas áreas são tão vulneráveis.

Sonora: “Baixo investimento. Elas contam com pouco pessoal, poucos recursos financeiros. E elas não contam com instrumentos básicos de gestão. E isso as deixa bastante vulneráveis.”

Estados que se destacam como fronteira agropecuária, Pará e Rondônia respondem por quase 90% das ocorrências. As unidades de conservação federais estão em maior número no ranking, mas as estaduais apresentaram maior área desmatada.

Sobre a pesquisa do Imazon, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade informou que no ano passado foram aplicados mais de R$ 3 milhões em multas pelo cometimento de infrações e que para este ano, estão previstas ações educativas voltadas para a conservação do meio ambiente.

A pesquisa do Imazon é feita por meio do Sistema de Alerta de Desmatamento e também do Prodes – Programa de Cálculo do Desflorestamento da Amazônia.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Desmatamento na Amazônia causou morte ou deslocamento de mais de 4 milhões de aves - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV