Pretos e pardos sofrem mais com desemprego, aponta IBGE

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • ‘Cultura do descarte e do ódio’ de governantes atuais lembra Hitler, confessa papa Francisco

    LER MAIS
  • O que suponho que Lula deveria dizer. Artigo de Tarso Genro

    LER MAIS
  • Opositores do papa: continuem assim

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

03 Março 2017

Os trabalhadores pretos e pardos são os que mais sofrem com o desemprego no Brasil. De acordo com os dados divulgados pelo IBGE na última sexta-feira (24), dos 12,3 milhões de desempregados, cerca de 64% são pardos e pretos.

A média nacional de desemprego ficou em 12%, entre brancos estava em 9,5%. Porém, entre pretos, a média é de 14,4% e entre pardos, de 14,1%. O salário da população negra também é inferior, pois a média salarial nacional é de R$2.043, já a dos brancos é de R$ 2.660, dos pardos R$ 1.480 e dos pretos, R$ 1.461.

A reportagem é publicada por Brasil de Fato, 02-03-2017.

Para o ex-secretário da Promoção de Igualdade Racial da prefeitura de São Paulo, Mauricio Pestana, são essas diferenças que comprovam o racismo no Brasil. "A questão do desemprego é a parte mais nefasta e palpável do racismo brasileiro. Nós somos 53% da população, mas nos cargos de comando na empresas somos apenas 4,5%", afirmou em entrevista ao repórter Jô Miyagui, da TVT.

Mulheres e jovens também sofrem com a recessão econômica. A taxa de desemprego entre as mulheres é 13,8%, enquanto entre os homens é de 10,7%. Os jovens de 18 a 24 anos representam 25,9% dos desempregados.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Pretos e pardos sofrem mais com desemprego, aponta IBGE - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV