Igreja russa espera que Trump resolva o problema do genocídio dos cristãos no Oriente Médio

Revista ihu on-line

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Mais Lidos

  • Por que o Papa Francisco não tem medo de um cisma

    LER MAIS
  • Os 12% do presidente – em que lugar da sociedade habita o bolsonarista convicto?

    LER MAIS
  • O cardeal Burke inicia a cruzada contra o Sínodo sobre a Amazônia, com base em um documento herético

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

31 Janeiro 2017

A cessação do genocídio dos cristãos no Oriente Médio depende de mudanças nas políticas norte-americanas sob o comando do presidente Donald Trump, disse o patriarcado de Moscou.

“Se Trump agora diz que os Estados Unidos devem defender as suas fronteiras, e não as fronteiras de outros países, temos então uma mensagem totalmente ciente e bem-pensada. Se os Estados Unidos pararem de introduzir as suas políticas no Oriente Médio como se fosse um touro numa loja de porcelana, então eu espero que o genocídio dos cristãos e outras minorias religiosas e étnicas, que vêm acontecendo no Oriente Médio há mais de uma década, terminem”, disse em entrevista à rede de televisão Rossiya-24 (VGTRK) o Metropolita Volokolamsk Hilarion, presidente do Departamento Sinodal para as Relações Eclesiásticas Externas.

A informação é publicada pela Agência Interfax, 30-01-2017. A tradução é de Isaque Gomes Correa.

A situação no Oriente Médio é, em grande parte, uma consequência das políticas americanas na região, disse.

O hierarca também comentou sobre o fato de o texto de uma liturgia ortodoxa jazer na mesa do chefe de gabinete da Casa Branca, Reince Priebus, e de que Donald Trump, durante a inauguração de seu governo, prestou juramento sobre duas bíblias: a de Abraham Lincoln e a sua própria, que mantém desde criança.

“Isso mostra que estas pessoas levam a sério o aspecto religioso, não é mera formalidade. Não é acidental também que Trump tenha convidado líderes religiosos para a sua inauguração”, disse.

O metropolita disse acreditar que a cerimônia de inauguração de Trump “foi uma cerimônia religiosa”.

“Espero que a presidência do recém-eleito presidente dos EUA aconteça sob o símbolo de uma tal esperança pela ajuda divina”, disse.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Igreja russa espera que Trump resolva o problema do genocídio dos cristãos no Oriente Médio - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV