Bolívia. Morre indígena pacahuara e etnia está à beira da extinção

Revista ihu on-line

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Mais Lidos

  • Os bispos do Sínodo farão um novo “Pacto das Catacumbas” para a Amazônia

    LER MAIS
  • A ideologização da Sociologia (além de uma simples distração). Artigo de Carlos Gadea

    LER MAIS
  • Críticos não percebem a importância global do Sínodo da Amazônia, afirma Peter Hünermann

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: João Flores da Cunha | 07 Janeiro 2017

No dia 31-12, faleceu na Amazônia boliviana a indígena Baji Yacu, da etnia pacahuara. Sua morte deixou os pacahuaras próximos da extinção: agora, apenas quatro membros da etnia sobrevivem, todos da mesma família.

Os pacahuaras habitam a aldeia Tujure, ao sul da cidade de Riberalta, no norte da Bolívia, nas proximidades da fronteira com o Brasil. A língua pacahuara é um dos 36 idiomas indígenas reconhecidos pelo Estado boliviano em sua Constituição.

Os quatro membros remanescentes são dois irmãos e dois sobrinhos de Baji. Sua morte foi anunciada por meio do Twitter pelo antropólogo Wigberto Rivero, professor da Universidade Maior de San Andrés, de La Paz:

O falecimento de Baji se segue à morte de sua irmã Bose Yacu, que ocorreu em dezembro de 2012. Naquele ano, pouco antes de sua morte, a emissora BBC realizou uma reportagem na tribo dos pacahuaras, que tinha então seis membros.

No vídeo, Baji fala sobre a mudança de região da tribo: a aldeia, que ficava às margens do Rio Negro, foi realocada nos anos 1960 com a ajuda de missionários estadunidenses em virtude da perseguição que os indígenas sofriam em meio ao ciclo da borracha. “Os seringueiros brasileiros eram maus conosco. Mataram o meu pai. Nos vimos obrigados a nos escondermos na selva mais profunda para que eles não pudessem nos encontrar. Desde que viemos para cá, temos uma vida mais tranquila”, disse na ocasião.

O povo pacahuara chegou a ter mais a ter mais de 40 mil membros entre o fim do século XIX e o início do século XX, mas em meados do século XX já estavam reduzidos a menos de uma dezena de pessoas. Após a mudança de região, os pacahuara se uniram em casamentos com os indígenas da etnia Chacobo. Os quatro sobreviventes têm filhos, mas já oriundos de uniões com os Chacobo.

Lorena Arroyo, jornalista responsável pela matéria da BBC, lembrou que Bose, que também aparece no vídeo, era a ancestral da tribo, e mantinha tradições como a música pacahuara. “Baji era a única que podia acompanhar Bose nas canções em pacahuara. Com ela se vai outro pedaço deste idioma e cultura”, lamentou.

Leia mais:

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Bolívia. Morre indígena pacahuara e etnia está à beira da extinção - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV