Veganos britânicos se levantam contra novas notas de 5 libras

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • “Os pecados da carne não são os mais graves. Os mais graves são aqueles que têm mais 'angelicalidade': a soberba, o ódio”. Entrevista do Papa Francisco

    LER MAIS
  • Digital, serial, algorítmica, a cultura do século XXI chegou

    LER MAIS
  • Ômicron, natureza e arrogância humana: uma guerra entre patógenos e humanos. Artigo de Alexandre A. Martins

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


02 Dezembro 2016

As novas notas de 5 libras (21,50 reais) despertaram a ira de veganos e outros grupos no Reino Unido ao se confirmar oficialmente que o material plástico flexível de que são feitas contém sebo, a gordura animal que também é utilizada na fabricação de sabão e de velas.

A reportagem é de Pablo Guimón, publicada por El País, 01-12-2016.

Mais de 100.000 pessoas já assinaram uma petição no charge.org para exigir que se deixe de utilizar sebo na produção das notas. “As novas notas de 5 libras contêm gordura animal em forma de sebo. Isso é inaceitável para milhões de veganos, vegetarianos, hindus, sikhs, jainistas e outros no Reino Unido. Exigimos que deixem de ser usados produtos de origem animal na produção de cédulas que temos de utilizar”, diz a petição.

A polêmica se iniciou quando Steffi Rox, uma usuária do Twitter que se define em seu perfil como vegana e defensora dos animais, perguntou ao Banco da Inglaterra se era verdade que as novas notas de 5 libras continham sebo. A entidade emissora respondeu na rede social que, de fato, havia “indícios de sebo nos grânulos de polímero utilizados no substrato base da cédula de 5 libras”.

O Banco da Inglaterra admitiu no Twitter que as notas contêm sebo. As novas cédulas são impressas num polímero – uma fina película de plástico flexível, mais duradoura e segura que as atuais notas. Entraram em circulação em setembro, e são muito mais resistentes que o papel-moeda, já que podem ser lavadas e passadas, suportam temperaturas superiores a 120 graus Celsius e são difíceis de rasgar.

O Banco Central britânico compra grânulos de polímero de uma empresa chamada Innovia Security, que fornece essa matéria-prima para 80 tipos de cédulas em 24 países, segundo relato do jornal The Guardian.

Tempestade no Twitter

O assunto causou uma tempestade no Twitter, onde coletivos de veganos e vegetarianos, além de alguns grupos religiosos, pediram às autoridades que suspendam a fabricação da nota. Esse dinheiro de plástico é usado em muitos outros países, sendo que alguns deles – como Austrália, Canadá, Romênia e Vietnã – substituíram todas as suas cédulas de papel pelas notas de polímero.

A Austrália foi o primeiro país a implantar essas cédulas de plástico, em 1988, e desde então mais de 30 países já os utilizam. Depois da nota de cinco libras, o Reino Unido pretende lançar, em meados do ano que vem, uma cédula de 10 libras, que homenageará a escritora Jane Austen. Em 2020, sairá a cédula de 20 libras, com o pintor William Turner no verso.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Veganos britânicos se levantam contra novas notas de 5 libras - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV