Religião e feminismo andam juntos em documentário sensível

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • Os católicos ainda leem? Sinodalidade e a “Igreja que escuta” nesta era digital. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS
  • Estou obcecado pelo Evangelho. O Evangelho não é Religião. Artigo de José María Castillo

    LER MAIS
  • Tenho medo dos padres

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


27 Novembro 2016

Por que, para tantas pessoas, Maria tem uma importância tão grande?

A pergunta mobilizou a diretora Joana Mariani a percorrer cinco países da América Latina em busca dos significados, dos valores e dos símbolos que estão por trás da figura de Nossa Senhora.

O comentário é de Marina Galeano, publicado por Folha de S. Paulo, 17-11-2016. 

O resultado dessa investigação – que não traz uma resposta, e sim diversas perspectivas a respeito do tema – pode ser apreciado no sensível documentário "Marias - A Fé no Feminino", que entra em cartaz nos cinemas a partir desta quinta (17).

Divulgação

Cena de 'Marias'; cineasta viajou em busca dos símbolos por trás da figura da mãe de Jesus

Muito além da religião, este é um filme sobre a mulher; uma jornada pelo poder do feminino atrelado à imagem da santa e reverenciado em culturas latinas através das festas marianas.

Embaladas por uma fotografia apurada e por uma trilha sonora marcante, vozes do Brasil, Cuba, Peru, México e Nicarágua ajudam a desenhar boa parte da simbologia que envolve a Virgem Maria.

"Xarás" da padroeira trazem histórias de fé que explicam os motivos de sua crença.

Aí está uma das grandes sacadas do documentário: nada de lenga-lenga religiosa. Escolhidas a dedo, as narrativas são, sobretudo, humanas, cheias de questionamentos e incertezas. E, mais do que explorar a relação com a fé, elas lançam um olhar feminista acerca do papel da santa na sociedade.

Cada fala e cada imagem compõem um mosaico que convida o espectador a entender quem é Maria, afinal.

No México, na Nicarágua ou no Brasil, ela é mãe, é trabalhadora, é autônoma, é salvadora, é plural, é força, é união, é amor. Marias são muitas e, ao mesmo tempo, uma só. Somos todas Marias e Maria é todas nós.

MARIAS - A FÉ NO FEMININO
DIREÇÃO Joana Mariani
PRODUÇÃO Brasil, 2016, livre
QUANDO: estreia nesta quinta (17)

Assista o trailer:

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Religião e feminismo andam juntos em documentário sensível - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV