Jesuítas elegem o seu primeiro Superior Geral latino-americano

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • ‘Cultura do descarte e do ódio’ de governantes atuais lembra Hitler, confessa papa Francisco

    LER MAIS
  • Bolívia. “O elemento central da derrubada de Evo Morales não é a direita, mas o levante popular”. Entrevista com Fabio Luís Barbosa dos Santos

    LER MAIS
  • O que suponho que Lula deveria dizer. Artigo de Tarso Genro

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

15 Outubro 2016


A Companhia de Jesus elegeu o seu primeiro líder latino-americano desde a sua fundação em 1540, um venezuelano que mora em Roma cujo passado curiosamente faz paralelo com o do primeiro papa jesuíta.

A reportagem é de Austen Ivereigh, publicada por Crux, 14-10-2016. A tradução é de Isaque Gomes Correa.

Da mesma forma como Jorge Mario Bergoglio, que dirigiu a dividida província argentina em meio à ditadura que ocorria no país na década de 1970, o Padre Arturo Sosa, SJ, 67, foi o provincial dos jesuítas da Venezuela entre 1996 e 2004, quando havia tensões dentro de sua província ao longo da ditadura de Hugo Chávez.

Anteriormente à sua nomeação como provincial, Arturo Sosa esteve encarregado do apostolado social dos jesuítas na Venezuela, o que inclui a grande rede jesuíta escolar Fé e Alegria, que serve primeiramente aos pobres. Também foi o coordenador do Centro Gumilla de ação e investigação social, também jesuíta.

Em entrevista concedida em 2014, ele descreveu o regime autoritário do sucessor de Chávez, Nicolás Maduro, como uma “tirania popular”.

Especialista em ciência política e teoria política, tendo sido professor e pesquisador por vários anos e sendo uma pessoa que conhece o regime de Maduro em primeira mão, esta sua eleição parece destinada, em parte, a reforçar a mediação do Vaticano na situação que rapidamente se deteriora no país.

Arturo Sosa, 31º Superior Geral dos jesuítas, nasceu em Caracas, em 12-11-1948. Possui doutorado em ciência política pela Universidade Central da Venezuela, e fala espanhol, italiano e inglês.

Entre os postos acadêmicos de destaque que ocupou estão a sua atuação como membro do conselho fundador da Universidade Católica Andrés Bello, em Caracas, e reitor da Universidade Católica de Táchira. Lecionou e foi pesquisador em ciência política em muitos institutos e faculdades diferentes e, em 2014, trabalhou como professor visitante do Centro de Estudos Latino-Americanos da Universidade de Georgetown, em Washington, DC.

Padre Arturo Sosa vinha atuando desde 2014 como o Delegado Geral para as Casas e Obras Internacionais da Companhia de Jesus em Roma, o que significa que era o responsável pela formação jesuíta e outras casas, incluindo a sede da congregação, ou Cúria Geral, e a Universidade Gregoriana.

Alguns dos 212 jesuítas eleitores de todo o mundo, a maioria delegado pelos quase 17 mil membros de todo o mundo, votaram na manhã desta sexta-feira para a escolha de um novo Superior Geral depois da renúncia do Padre Adolfo Nicolás.

Não está claro ainda quantas rodadas de votação foram precisas para elegê-lo, mas o resultado se soube depois de algumas poucas horas.

Os eleitores jesuítas passaram esta semana em murmuratio, discutindo entre si os méritos dos possíveis Gerais.

Pensa-se que Arturo Sosa seja o primeiro Superior Geral dos jesuítas a ostentar um bigode (embora muitos tenham tido barbas).

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Jesuítas elegem o seu primeiro Superior Geral latino-americano - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV