Papa Francisco: “Em três dias, graças a Deus, retornaremos para casa”

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Metaverso? Uma solução em busca de um problema. Entrevista com Luciano Floridi

    LER MAIS
  • A implementação do Concílio no governo do Papa Bergoglio. Artigo de Daniele Menozzi

    LER MAIS
  • Bergoglio, ao Santo Sínodo Ortodoxo: “Façamos do Chipre uma ponte entre o céu e a terra”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


01 Outubro 2016

Uma brevíssima saudação, antes da aguardada coletiva de imprensa, durante o voo de retorno no próximo domingo. Mas, também, uma frase que indica que o Papa Francisco não gosta particularmente de viajar. Antes de cumprimentar, um a um, os 70 jornalistas que viajavam com ele, Bergoglio pegou o microfone e saudou, primeiramente, o novo diretor da Sala de Imprensa vaticana, Greg Burke, que viaja pela primeira vez com o Papa, nesta função.

A reportagem é de Andrea Tornielli, publicada por Vatican Insider, 30-09-2016. A tradução é do Cepat.

Em seguida, Francisco agradeceu aos cronistas: “Bem-vindos, obrigado por seu trabalho. Esta viagem será breve, graças a Deus, em três dias retornaremos para casa...”. Esta frase confirma que o Papa argentino, apesar de já ter feito 16 viagens ao estrangeiro, em três anos de Pontificado, não gosta particularmente de ficar longe de casa e prefere as viagens curtas.

Enquanto ia passando entre os jornalistas, alguém lhe perguntou se iria ver as vítimas do terremoto no centro da Itália. Francisco, que quer realizar uma visita privada, sem nada oficial e sem cerimônias, respondeu que há três hipóteses para a data, e indicou que poderá ser no primeiro domingo do Advento. Ainda que muitos estejam convencidos que poderá ir antes, mas sem avisos prévios.

Entre as coisas curiosas que Francisco disse, destaca-se uma frase direcionada à jornalista Cristina Caricato, enviada da TV2000. A jornalista ficou cercada, enquanto outros dois colegas fotografavam, fazendo com o que o Papa quase passasse sem cumprimentá-la. Ela brincou dizendo que as mulheres são sempre penalizadas. E Bergoglio respondeu: “Precisam fazer a revolução”.

Leia mais...

“Francisco é o primeiro Papa que fala das causas da injustiça no mundo”. Entrevista com Frei Betto

Francisco prepara viagem a Geórgia e Azerbaijão

“O deus da guerra não existe”, diz o Papa Francisco

Papa Francisco em Assis: "Juntos para rezar e não para fazer espetáculo"

“Cada refugiado tem um nome e um rosto, o direito de viver em paz e aspirar a um futuro”, disse o Papa Francisco

Papa Francisco aos novos bispos: "O mundo está cansado de mentirosos, de padres da moda, de arautos de cruzadas"

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Papa Francisco: “Em três dias, graças a Deus, retornaremos para casa” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV