O impressionante Salto do Yucumã ameaçado por uma barragem no Brasil

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • Bartomeu Melià: jesuíta e antropólogo evangelizado pelos guarani (1932-2019)

    LER MAIS
  • Bolsonaro institui o Dia do Rodeio na Festa de São Francisco de Assis

    LER MAIS
  • “O transumanismo acredita que o ser humano está em um suporte equivocado”, afirma filósofo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

31 Agosto 2016

"Não é nenhum outro lugar como ele."Com as suas nuances, o esclarecimento é uma das primeiras coisas que sublinham as guias antes de atingir o mítico Moconá cai em Misiones. No entanto, o espetáculo oferecido suas cachoeiras está sujeito às operações de uma barragem brasileira que abriu um há alguns anos e operadores turísticos locais pedindo-lhes para coordenar a sua operação não para cobri-los.

A informação é publicada por Três Passos News, 20-08-2016.

Por uma falha geológica, por cerca de três quilômetros no rio Uruguai, entre a foz dos rios Pepirí Guazú e Yabotí, do lado argentino é maior do que o brasileiro, formando uma garganta com uma cascata longitudinal de 10 metros de altura, um fenômeno que é não se repete em outras partes do mundo, de acordo com os habitantes locais se gabar.

Sua observação depende de vários fatores, como a chuva. De fato, no ano passado houve registros de chuvas, três a quatro vezes acima da média, o que aumentou o nível de rio Uruguai e coberto por vários dias saltos.

Mas um fator humano foi adicionado aos operadores turísticos ainda maior obstáculo à sua atividade: a barragem de Foz de Chapecó, localizada a montante, cerca de 80 quilômetros da fronteira entre Argentina e Brasil. Sua primeira unidade geradora foi inaugurado em Outubro de 2010 e 12 de Março do ano seguinte começou a operar na íntegra. Doze horas após as suas portas abertas, a água atinge o Moconá Falls, afetar a sua altura e visibilidade. E se chover, diretamente tampa.

Antes da barragem foi instalada a baleia era mais normal. Agora você pode ter cinco metros e, de repente salta em duas ou três horas, você tem dois metros, "Infobae disse o prefeito da cidade vizinha de El Soberbio, Roque Soboczinski.

As autoridades locais e empresários do turismo concordam que o governo deveria coordenar com o governo brasileiro para a obra da barragem para que os saltos podem ser visitados durante o dia. "Queremos vamos trabalhar entre as 8 e 16 horas", disse o prefeito Soboczinski.

Embora visível sempre que eles valem a pena fazer a viagem aos domingos e segundas-feiras são os melhores dias para visitar as cataratas. O passeio custa 200 pesos em barco de borracha e a entrada para Moconá Provincial Park, onde eles estão localizados, mais 15 pesos.

"Quando os saltos não são acessíveis, a alternativa na área é Reserva da Biosfera Yabotí, o quinto maior do mundo, que é um local diferente, único no meio da selva", titular Infobae recomendado Associação Civil de turismo Alto Uruguai, Presa Francisco Campos, proprietário na área de um alojamento, uma forma de acomodação que medidas cada vez mais duras na selva missionária.

Na área de Yabotí existem diferentes recursos turísticos, como a Pegada Guarani, também conhecido como "O Caminho Sagrado da terra sem males", que ao longo dos seus 62 quilômetros que ligam a jejy, jejy Mini e Poty Pindo aldeias, as várias atrações da reserva.

Ainda assim, Moconá quedas são a estrela dos operadores da área e turísticos não acho que ficar de braços cruzados. Nesse sentido, uma comitiva missionária viajou em março para a cidade de Três Passos, no estado vizinho do Rio Grande do Sul, no Brasil, para uma reunião com as autoridades locais e desenhar uma agenda comum, desde que o turismo em toda a fronteira também foi afetada pela barragem, uma vez que a venda do passeio ao Salto do Yucumã, dizer-lhes há-de um parque estadual, que oferece uma vista panorâmica das cataratas.

Na mesma reunião, foi decidido preparar um projeto para apresentação aos deputados nacionais do Rio Grande do Sul e do Ministério da Energia do Brasil, a fim de regular a geração de energia na barragem para que eles não se afogar cachoeiras e turismo jusante.

Além disso, a possibilidade de ir ao tribunal para pedir uma indemnização para os dias em que a barragem não pode trabalhar porque eles acreditam que qualquer estudo provaria que o problema não é a chuva, mas a barragem também foi levantada. Aqueles que conhecem o Rio Uruguai dizer basta olhar para a cor da água para ver se as inundações são chuva ou represa.

Por sua vez, a Associação Civil de turismo Alto Uruguai apresentou esta semana 15 pontos com os quais o governo nacional esperados para impulsionar o turismo na área, recentemente nomeado como um dos cinco destinos não tradicionais para promover. Uma das reivindicações foi resolver precisamente o conflito, Foz do Chapecó.

É claro que o turismo não é o único problema e há aqueles que selou a inundação da barragem (ou parte dele) que têm afetado as populações nos últimos anos, alguns dos quais terminou com centenas de desalojados, bem.

Por sua vez, a população local lembre-se que há um outro projeto que o temem mais de Foz do Chapecó: o reservatório de Garabi, o que deixaria sob a água o salto para o resto de seus dias. O governo nacional quer reimpulsionar, mas está paralisado pela Justiça brasileira pela falta de licença ambiental.

O projeto é uma rejeição retumbante na área, que se manifestou em um referendo não vinculativo que mais de 120 mil pessoas, quase um quarto daqueles que geralmente votam nas eleições obrigatórias, todos esses votos são um sinal do termômetro social de participação.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O impressionante Salto do Yucumã ameaçado por uma barragem no Brasil - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV