Marcha para unir as famílias separadas pela fronteira

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Teóloga franciscana desafia a hipocrisia da nova encíclica papal Fratelli Tutti

    LER MAIS
  • A horripilante foto eleitoral da ‘terrorista de direita’

    LER MAIS
  • Novo secretário do Sínodo dos Bispos lamenta a “enorme energia” despendida pela Igreja “para converter a sociedade secular”: “É mais importante convertermos nós mesmos”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


12 Agosto 2016

Ocorreu nessa quarta-feira, 10 de agosto, a marcha binacional (EUA-México) organizada para pedir a reunificação das famílias separadas pela fronteira que divide o México e os EUA.

A reportagem foi publicada por Agência Fides, 10-08-2016. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Dezenas de famílias partiram às 9h30 (hora local) do Parque de Chihuahuita para se reencontrar e abraçar novamente no meio do Rio Grande com os próprios parentes provenientes dos EUA, e denunciar, com esse gesto simbólico, as políticas estadunidenses de repulsão e deportação, que provocam, como consequência, a separação dos núcleos familiares.

A manifestação também tem o objetivo de reivindicar um tratamento mais humano e digno para as famílias imigrantes e para as comunidades que vivem nas áreas de fronteira.

"Não podemos permitir", afirma em um comunicado a Border Network for Human Rights do Texas, "que quem oriente as políticas imigratórias sejam políticos irresponsáveis e desprezíveis, que dilaceram as nossas famílias para perseguir seus próprios interesses egoístas. Com esse evento, queremos abraçar uma visão de uma América que exalta os valores fundamentais da família e da comunidade, e tentar experimentar soluções propostas pelos residentes das zonas fronteiriças, em vez de uma retórica que se baseia no medo."

Organizações como a Rede de Fronteira pelos Direitos Humanos exigem há muito tempo uma reforma global das políticas imigratórias, que delineie um processo voltado a reconhecer o direito de cidadania para 11 milhões de famílias sem documentos que já vivem e trabalham nos EUA.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Marcha para unir as famílias separadas pela fronteira - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV