UHE Teles Pires. Funcionários que ficaram reféns de índios são libertados

Revista ihu on-line

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

Mais Lidos

  • Tuitadas

    LER MAIS
  • Adaptando-se a uma ''Igreja global'': um novo comentário internacional sobre o Vaticano II. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS
  • Assim arma-se a próxima crise financeira

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

24 Outubro 2011

Sete funcionários da Funai e da EPE (Empresa de Pesquisa Energética) que estavam reféns de índios desde a última segunda-feira foram libertados no fim de semana.

A reportagem é de Agnaldo Brito e publicda pelo jornal Folha de S. Paulo, 24-10-2011.

Eles foram capturados na divisa entre o Pará e Mato Grosso, ao visitar aldeias da região para explicar o projeto da usina hidrelétrica de São Manoel. Os índios das etnias munduruki, kayabi e apiaká são contrários ao empreendimento.

Três servidores foram libertados anteontem, e os demais, ao meio-dia de ontem.

A libertação só se consumou depois que a Secretaria-Geral da Presidência da República entrou no caso.

A Funai tentou a liberação dos reféns durante toda a semana passada, mas não teve sucesso. Os indígenas condicionaram a soltura dos servidores ao compromisso, assumido pelo secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, de abrir diálogo sobre a instalação da usina.

O projeto da hidrelétrica de São Manoel prevê a construção de uma usina com capacidade instalada de 700 MW na calha do rio Teles Pires, na divisa dos Estados do Pará e Mato Grosso.

Ela será a maior do complexo de hidrelétricas que será erguido na região.

O Ibama iria realizar três audiências públicas para discutir o empreendimento, mas suspendeu o processo após a ação dos indígenas.

As audiências são exigência do processo de licenciamento prévio da obra. Sem ele, o projeto não pode ser incluído em leilão que acontecerá em dezembro.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

UHE Teles Pires. Funcionários que ficaram reféns de índios são libertados - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV