Pesquisadores celebram o Ano Internacional do Morcego

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • "O pior de tudo em Manaus é a sensação de impotência"

    LER MAIS
  • “Pelo amor de Deus, nos enviem oxigênio”, apelam os bispos do Amazonas e Roraima

    LER MAIS
  • O testamento de Dom Jacques Noyer, bispo francês - " “O celibato eclesiástico é uma falsa aventura"

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


23 Junho 2011

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) elegeu 2011-2012 como o Ano Internacional do Morcego. A ideia é promover a conservação das mais de 1.230 espécies conhecidas, além de incentivar a pesquisa e a educação ambiental.

A informação é de Andrea Vialli e Afra Balazina e publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo, 24-06-2011.

Com cerca de 170 espécies descritas, o Brasil ocupa o segundo lugar em riqueza de espécies, atrás da Colômbia. Mas os morcegos brasileiros ainda são pouco conhecidos pela ciência. Menos de 10% da área do País foi estudada para morcegos e 60% dela não tem registros científicos de espécies.

Os morcegos estão presentes na Terra há pelo menos 50 milhões de anos, em todos os continentes. A menor espécie, restrita à Tailândia, pesa pouco mais de 3 gramas e é um dos menores mamíferos, enquanto a maior, da Indonésia, pode ultrapassar 1,5 kg e 1,7 metro de envergadura.

A grande diversidade aumenta sua importância ecológica, pois eles interagem com milhares de espécies animais e vegetais. Morcegos são importantes polinizadores de flores, dispersores de sementes e predadores de pragas. Há espécies capazes de dispersar 60 mil sementes em uma noite.

Reencontrada

Fiona Mathews, uma pesquisadora da Universidade de Exeter (Grã-Bretanha), descobriu uma fêmea grávida de uma espécie de morcego que se considerava desaparecida. Faziam pelo menos 40 anos que o morcego-pipistrela (Plecotus auritus) não era avistado nas Ilhas Sorlingas, a sudoeste do país. A descoberta deve incentivar medidas de preservação da espécie.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Pesquisadores celebram o Ano Internacional do Morcego - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV