A Igreja chilena analisará sua falta de credibilidade após o caso do bispo de Iquique

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • Estudantes, trabalhadores e sonhadores. Quem eram os jovens que morreram após ação da PM em baile funk

    LER MAIS
  • Não posso me calar

    LER MAIS
  • O fim do indivíduo. Viagem de um filósofo à terra da inteligência artificial

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: Jonas | 16 Novembro 2012

O arcebispo de Santiago, Ricardo Ezzati, afirmou que os prelados do país irão refletir sobre a maneira como a credibilidade da Igreja foi atingida com o caso do bispo de Iquique, Marco Antonio Órdenes, que abandonou seu cargo após uma denúncia de abuso sexual, investigada pelo Vaticano.

A reportagem é publicada pelo sítio Religión Digital, 13-11-2012. A tradução é do Cepat.

Isto depois de uma Eucaristia presidida pelo núncio apostólico Ivo Scapolo, pela qual foi introduzida a 104ª Assembleia Plenária da Conferência Episcopal do Chile. O encontro acontece em Punta de Tralca, entre 12 e 16 de novembro.

Ao final da missa, o presidente da Conferência Episcopal, dom Ricardo Ezzati, se reuniu com a imprensa que foi até a Casa de Exercícios de Punta de Tralca.

Consultado sobre como a situação de dom Órdenes atinge a credibilidade da Igreja, Ezzati explicou que “iremos refletir. Certamente os problemas afetam a credibilidade, mas por outro lado, podem ser um caminho para fundamentar melhor nossa fé. A fé é em Jesus Cristo, em sua pessoa. Nós, que o seguimos, somos pessoas frágeis, intensifiquemos nosso propósito de seguir mais fielmente Cristo e ser anunciadores mais credíveis de sua vida e de sua verdade”.

Em relação à diminuição de católicos, constatada pela pesquisa Bicentenário Adimark, Ezzati disse que “vivemos num mundo secularizado, e o que está aumentado é essa expressão secularizada de nossa sociedade; é um desafio enorme para a Igreja evangelizar em tempos de mudança. A Igreja precisou evangelizar em tempos de mudança desde o seu início, passando de uma cultura própria de Israel à cultura greco-romana; também no Renascimento, na época pré-industrial; e hoje estamos numa mudança de época muito profunda e o desafio da Igreja é justamente oferecer aos homens e mulheres, deste tempo, as razões para viver, e essa é nossa tarefa”.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A Igreja chilena analisará sua falta de credibilidade após o caso do bispo de Iquique - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV