GM fecha mais uma linha e esvazia fábrica de São José

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • O novo rosto do clero: perfil dos “padres novos” no Brasil

    LER MAIS
  • Por que Bolsonaro ainda não caiu

    LER MAIS
  • Papa deve enviar Greta Thunberg para a COP26 em seu lugar

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: Cesar Sanson | 12 Julho 2012

A General Motors encerra hoje a produção da minivan Zafira em São José dos Campos (SP). O veículo que entra em seu lugar, chamado Spin, já começou a ser produzido, mas em outra fábrica da montadora, em São Caetano do Sul (SP). A mudança acirra uma já tumultuada relação entre a multinacional americana e o sindicato local e acelera um processo de esvaziamento da fábrica no Vale do Paraíba.

A reportagem é de Marli Olmos e publicada pelo jornal Valor, 12-07-2012.

Hoje haverá uma reunião entre os representantes da montadora e do sindicato, na Superintendência Regional do Trabalho, em São Paulo. Foi a pedido dos dirigentes sindicais que o Ministério do Trabalho decidiu interceder nas discussões, que começaram em junho, quando a empresa abriu dois programas de demissões voluntárias.

Com a crise nos Estados Unidos, a GM do Brasil atrasou a renovação de sua linha de produtos, processo que tem início agora, mas nenhum dos futuros modelos será feito em São José. As outras duas grandes fábricas da empresa no Brasil, em São Caetano e Gravataí (RS), têm sido contempladas com vultosos investimentos. Além disso, a empresa está na fase final de construção de uma fábrica de motores em Joinville (SC), que tende a substituir a linha de motores hoje localizada no Vale do Paraíba.

O impasse nas relações com o sindicato, historicamente tumultuadas, se agravou com a recusa dos dirigentes sindicais, ligados ao PSTU, em aceitar o sistema de banco de horas. A última negociação bem-sucedida, que garantiu investimento de R$ 800 milhões para produzir em São José dos Campos a nova picape S-10, foi em 2008.

"A unidade não será fechada porque se trata de um complexo industrial com mais de 7 mil empregados", disse o diretor de assuntos institucionais da GM, Luiz Moan. Os programas de demissões voluntárias receberam 356 adesões. A montadora está ainda amarrada a um acordo fechado com o governo, que recentemente reduziu o IPI em troca da promessa de não haver demissões no setor.


Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

GM fecha mais uma linha e esvazia fábrica de São José - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV