Karl Marx, quem diria, foi parar no cartão de crédito

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • “Sínodo é até o limite. Inclui a todos: Os pobres, os mendigos, os jovens toxicodependentes, todos esses que a sociedade descarta, fazem parte do Sínodo”, diz o Papa Francisco

    LER MAIS
  • Por que a extrema direita elegeu Paulo Freire seu inimigo

    LER MAIS
  • Enquanto Francisco visitava a Eslováquia, a comunidade internacional celebra a mulher sacerdote da Tchecoslováquia

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: Cesar Sanson | 11 Julho 2012

Karl Marx, quem diria, virou efígie do cartão de crédito MasterCard, na Alemanha. Assim, ele veio a ser o segundo líder comunista a se tornar foco de propaganda de empresas capitalistas - mas ainda perde de longe para o primeiro, Che Guevara, que estampa camisas e pôsteres.

A reportagem é de Renato Pompeu e publicada pelo jornal Folha de S.Paulo, 11-07-2012.

No caso de Marx, porém, não se trata de uma jogada de marketing, mas de uma medida de relações públicas. A iniciativa foi do banco Sparkasse Chemnitz, da cidade alemã de Chemnitz, no centro-leste do país.

O banco fez uma pesquisa entre seus clientes sobre qual era o marco urbano mais importante da cidade para ornar o seu cartão MasterCard. Enfrentando nove outras instalações, um busto de Marx de sete metros de altura foi o vencedor, com 35% dos votos. Ele foi instalado em 1953, quando os líderes comunistas da então Alemanha Oriental, onde fica Chemnitz, alteraram o nome da cidade para Karl Marx-Stadt (Cidade Karl Marx).

Com numerosos projetos de conjuntos habitacionais e um cuidado especial para a reconstrução pós-guerra (cuidado que não houve em outros centros importantes, como a própria Berlim Oriental), as autoridades comunistas procuravam apresentar a cidade como uma "cidade socialista".

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Karl Marx, quem diria, foi parar no cartão de crédito - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV