“Temos diante de nós um verdadeiro modernista”, afirma Fellay

Revista ihu on-line

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Nietzsche. Da moral de rebanho à reconstrução genealógica do pensar

Edição: 529

Leia mais

China, nova potência mundial – Contradições e lógicas que vêm transformando o país

Edição: 528

Leia mais

Mais Lidos

  • 'A esquerda foi singularmente incapaz e burra nessas eleições'. Entrevista com Jessé Souza

    LER MAIS
  • Os ultra-ricos preparam um mundo pós-humano

    LER MAIS
  • Aonde quer chegar Dias Toffoli?

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: Jonas | 17 Outubro 2013

É um ataque frontal e duríssimo o que chega da Fraternidade São Pio X contra o papa Francisco. Um ataque que parece anular definitivamente qualquer possibilidade de diálogo entre o grupo tradicionalista, fundado por dom Marcel Lefebvre, e a Santa Sé. O superior da Fraternidade, o bispo Bernard Fellay, durante uma conferência em Kansas City, no último final de semana, disse que Francisco “é um verdadeiro modernista”.

A reportagem é de Andrea Tornielli, publicada no sítio Vatican Insider, 15-10-2013. A tradução é do Cepat.

Fellay afirmou que estamos vivendo “tempos espantosos”, que a “situação da Igreja é um verdadeiro desastre. O Papa atual está piorando 10.000 vezes a situação”. “No início do pontificado do papa Bento XVI, disse, a Igreja continuava (piorando), mas o Papa estava procurando frear. É o mesmo que dizer: a Igreja continuava declinando, mas com um paraquedas. Já com o início do papa Francisco, disse, ele corta as cordas e coloca um foguete para ir para baixo”.

“Se o atual Papa continuar como começou, dividirá a Igreja. Está explodindo tudo. Assim, as pessoas dirão: “é impossível que ele seja o Papa, nós o rejeitamos”. Outros dirão: “Vamos esperar, considerá-lo como Papa, mas não o sigamos...”. Esta última é a postura de Fellay. “Deus é muito maior que nós e o trabalho destes ministros imperfeitos”. É necessário segui-los “quando dizem a verdade”, não quando lhe oferecem “lixo”. O superior lefebvriano concluiu que obedecer ao atual Pontífice significaria “colocar em risco nossa fé”.

Fellay também falou sobre a falta de um acordo com Roma, no ano passado. “Ao observar o que está acontecendo agora, nós agradecemos a Deus que nos salvou, no ano passado, de qualquer tipo de acordo. E podemos dizer que um dos frutos da cruzada do rosário, que nós fizemos, é que fomos salvos de uma desventura como essa. Graças a Deus. Não é que nós não queiramos ser católicos, naturalmente queremos ser e somos, temos o direito de ser reconhecidos como católicos. Contudo, nós não comprometemos nossos tesouros por isto. Claro que não... E pensar que algumas pessoas continuam insistindo para que cheguemos a um acordo com Roma”.

Após meses de silêncio e de ausência de resposta da Fraternidade à proposta feita pela Congregação para a Doutrina da Fé, em nome do Papa, em junho de 2012, retornou hoje, à comissão “Ecclesia Dei”, o arcebispo Guido Pozzo, que foi um dos protagonistas do diálogo doutrinal e das negociações até 2012. Entretanto, as palavras do superior lefebvriano assinalam que o retorno do grupo tradicionalista está definitivamente cancelado.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“Temos diante de nós um verdadeiro modernista”, afirma Fellay - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV