Herói de Fukushima morre de câncer

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • “A Igreja existe para todos, não apenas para aqueles que têm fé”. Entrevista com Tomáš Halík

    LER MAIS
  • Após um longo confinamento litúrgico, o que virá a seguir?

    LER MAIS
  • “Precisamos de um amor feroz, um profundo apego emocional à natureza”. Entrevista com Richard Louv

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


10 Julho 2013

Após o vazamento nuclear em Fukushima - causado pela tsunami que assolou o Japão em março de 2011 - a maioria dos funcionários da usina foi instruída a deixar o local o mais rápido possível. No entanto, o chefe da central, Masao Yoshida, foi um dos que decidiu se arriscar para impedir que o pior desastre nuclear desde Chernobyl tivesse proporções maiores no Japão. Dois anos depois, aos 58 anos, Yoshida morre de câncer de esôfago, segundo comunicado divulgado por sua empresa nesta terça-feira.

A informação é publicada pelo jornal O Globo, 10-07-2013.

Autoridades da Companhia de Energia Elétrica de Tóquio (Tepco), dona da usina, e especialistas afirmaram que a doença de Yoshida não estava relacionada à exposição à radioatividade, devido à rapidez com que se desenvolveu. O engenheiro deixou a chefia da usina em dezembro de 2011, quando anunciou seu diagnóstico de câncer.

Quando o desastre aconteceu, Yoshida tinha apenas nove meses na chefia da usina. A tsunami inundou a central e causou sérios danos aos sistemas de refrigeração dos seis reatores. Três deles sofreram explosões e colapsos, liberando material radioativo no ambiente.

Mesmo que a companhia tenha sido duramente criticada pelo vazamento - que forçou mais de 100 mil pessoas a deixarem suas casas - o engenheiro e sua equipe foram considerados heróis por minimizar os danos do desastre. No entanto, alguns chegaram a acusá-lo de falhar no investimento em reforço na segurança contra tsunamis. Em resposta, ele pediu desculpas afirmando que tinha sido muito “brando” em suas suposições de como uma onda gigante poderia afetar a central.

- Eu tenho medo que estejamos em grande risco - disse ele, em um vídeo gravado durante a operação para conter o vazamento. - Mas vamos nos acalmar um pouco. Respirar fundo. Respirar e expirar - falou à sua equipe.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Herói de Fukushima morre de câncer - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV