Oração pelos dois bispos ortodoxos sequestrados há dois meses

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Desgaste do discurso evangélico

    LER MAIS
  • Outro papa. Ratzinger, sua renúncia e o confronto com Bergoglio

    LER MAIS
  • ‘Eu serei sempre minoria’, diz padre Júlio sobre sua vocação em ajudar pobres e oprimidos

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: André | 25 Junho 2013

Sábado, 22 de junho, exatamente dois meses após o seu sequestro na Síria, momentos de oração aconteceram em diferentes cidades do Oriente Médio pelos dois bispos de Alepo Yohanna Ibrahim – siro-ortodoxo – e Boulos Yazigi – greco-ortodoxo –, conta a agência Fides.

A reportagem é de Aymeric Christensen e publicada no sítio da revista francesa La Vie, 24-06-2013. A tradução é do Cepat.

Diferentes vigílias, reunindo todas as comunidades cristãs, aconteceram nas catedrais de Alepo, assim como em Balamand, no Líbano, às vésperas das celebrações do Pentecostes ortodoxo.

Não há novas informações sobre os dois homens e algumas informações que nos chegam, tranquilizadoras há um mês, são cada vez mais pessimistas. No dia 14 de maio, a revista católica britânica The Tablet chegou inclusive a anunciar, sem que a informação fosse confirmada, a “provável morte” de Yazigi e Ibrahim.

Embora elementos contraditórios circulem há dois meses a propósito do seu sequestro e libertação, é particularmente delicado discernir o verdadeiro do falso. Tanto que um novo mistério veio se somar ao assunto: a única testemunha direta do sequestro, que inicialmente havia apontado um “comando checheno” por trás do sequestro, estaria agora desaparecida, segundo o jornal católico francês La Croix.

“Nós estamos tristes porque já se passaram dois meses e não fazemos nenhuma ideia de onde se encontram nem como estão os nossos irmãos bispos”, declarou à Fides Timoteo Matta Fadil Alkhouri, assistente do Patriarcado siro-ortodoxo de Antioquia. “Não temos certeza se ainda estão vivos, mas não perdemos a esperança. Pedimos muitas vezes que possamos ouvir sua voz, o que não foi possível. Mas, até o momento, não recebemos nenhuma notícia ruim e isso nos dá, a nós e ao nosso povo, uma esperança”.

Ele, por outro lado, agradeceu “ao Papa Francisco, a todos os cristãos, assim como a todos os muçulmanos que rezam conosco e que sentimos ao nosso lado nesse momento de dor. Tudo isso nos ajuda a seguir em frente”.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Oração pelos dois bispos ortodoxos sequestrados há dois meses - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV