Contra gripe, pai-nosso de mão dada é vetado

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Propor vacinação só em março e alcançar no máximo 1/3 da população em 2021 é um crime

    LER MAIS
  • Papa Francisco desafia a esquerda católica

    LER MAIS
  • A face perversa da Plataforma Lattes

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: Cesar Sanson | 30 Mai 2013

O receio de transmissão da gripe H1N1 levou dioceses do interior paulista a mudar rituais na liturgia católica.  Enquanto o frio persistir, o clero manterá suspenso o abraço da paz de Cristo, a oração do pai-nosso feita de mãos dadas e a entrega da hóstia na boca em algumas cidades como Aparecida, Taubaté e Franca.

A reportagem é de Luis Fernando Wiltemburg e publicada pela Folha de S.Paulo, 30-05-2013.

Em São Paulo, as medidas não foram adotadas. O Estado concentra 90% das mortes por H1N1 do país --55 dos 61 óbitos. O vírus é transmitido pela saliva e secreções e é mais frequente nos períodos de frio.

No Santuário Nacional de Aparecida (a 180 km de São Paulo), que recebe até 200 mil romeiros por fim de semana, as orientações são dadas antes das missas e passaram a ser adotadas desde o dia 21.

"O santuário é um pouco mais abafado e recebe gente do Brasil todo, inclusive de locais com ocorrência mais frequente de H1N1", disse o prefeito do santuário, João Batista de Viveiros. A maior preocupação, porém, é a entrega da hóstia na boca. Evitar o contato da mão do padre com a saliva de várias pessoas é prioridade.

Ofertório

Apesar da aceitação das regras, Viveiros conta que já houve o caso de uma religiosa que expôs um vídeo na internet em protesto. Em Taubaté (a 140 km de São Paulo), até o ofertório --quando o pão e o vinho são levados em procissão ao altar--, foi suspenso. A cidade confirmou nesta semana a quarta morte por gripe H1N1.

Na diocese da cidade, o monsenhor Irineu Batista da Silva disse que agora o ofertório fica no altar. Os folhetos que auxiliam os fiéis a acompanhar as diversas missas do dia foram suspensos.

A mesma situação ocorre em Franca (a 400 km de São Paulo), que confirmou o primeiro caso de H1N1 anteontem. A mudança divide fiéis. Andréa Randi Nascimento concorda. "O que sinto pelo próximo é de coração e não precisa do gesto", afirmou.

A aposentada Maria Antonio Bahia, 67, discorda. "Quando se tem fé, nenhuma enfermidade te pega."

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Contra gripe, pai-nosso de mão dada é vetado - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV