Anglicanos e ortodoxos: o diálogo se detém no sacerdócio feminino

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • “Onde estava Deus?” Por que Auschwitz é o símbolo do mal

    LER MAIS
  • Brasil vive pior cenário para indígenas desde a redemocratização, diz antropólogo em Paris

    LER MAIS
  • Protestantes são convidados a comungar na primeira missa católica em catedral de Genebra desde a Reforma

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

26 Março 2013

Começam sob a insígnia da polêmica as relações – já nada fáceis nos últimos anos – entre o o novo primaz anglicano, Justin Welby, e o Patriarcado Ortodoxo de Moscou. E, no centro da disputa, está, como sempre, o papel das mulheres dentro da hierarquia da Igreja Anglicana.

A reportagem é de Alessandro Speciale, publicada no sítio Vatican Insider, 25-03-2013. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Welby, ex-chefe da indústria do petróleo, entrou oficialmente no cargo como arcebispo de Canterbury – um papel que o torna o primus inter pares entre os líderes dos cerca de 80 milhões de anglicanos do mundo – apenas no último dia 21 de março. Naquela ocasião, ele declarou que, no futuro, quem poderá se sentar no seu posto tranquilamente poderá ser uma mulher, "quando vier a pessoa certa".

A Igreja Anglicana há anos ordena mulheres padre, e quem "entronizou" Welby oficialmente, de fato, foi justamente uma mulher, Sheila Watson, arquidiaconisa da catedral de Canterbury. Em novembro passado, a parte leiga do Sínodo anglicano rejeitou surpreendentemente a abertura às mulheres também do episcopado, mas o novo primaz disse abertamente que espera uma mudança de linha por ocasião da próxima reunião da assembleia anglicana, em julho próximo.

Mas, para Welby, logo chegou de Moscou uma severa repreensão. "Sabemos que a Igreja Anglicana está passando por um período difícil e que, em seu interior, coexistem diversas opiniões, ideias e facções. No entanto, esperamos vivamente que a ideia tradicional da moral cristã e da Igreja saia vencedora dessa polêmica", disse o "ministro das Relações Exteriores" do Patriarcado de Moscou, o Metropolita Hilarion de Volokolamsk, durante um encontro entre o novo primaz e os representantes ortodoxos que participaram da cerimônia de Canterbury.

Para Moscou, a introdução das bispas, de fato, fecharia definitivamente a porta para o possível reconhecimento da hierarquia e das ordens anglicanas por parte do Patriarcado Ortodoxo. "Eu gostaria que o senhor fosse consciente disso e que levasse em consideração a nossa opinião quando esse tema for novamente levantado", alertou Hilarion, que dirige o Departamento de Relações Eclesiais Externas do Patriarcado de Moscou.

O metropolita também expressou a sua esperança de que Welby se empenhe para defender o matrimônio tradicional entre homem e mulher, "a fim de evitar que a Igreja da Inglaterra seja forçada pela sociedade secularizada a reconhecer algumas formas de coabitação que nunca foram consideradas como casamento pelas Igrejas cristãs".

Welby acolheu desportivamente as chicotadas dos irmãos ortodoxos. E replicou que, ao menos com relação ao casamento gay, a posição anglicana é compatível com a de Moscou, com o reconhecimento de que o matrimônio é apenas a união entre um homem e uma mulher.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Anglicanos e ortodoxos: o diálogo se detém no sacerdócio feminino - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV