Uma conta secreta do IOR em um banco alemão provocou o bloqueio de cartões no Vaticano

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Uma visão do suicídio no Brasil em resposta à outra visão apresentada

    LER MAIS
  • "É hora de reaprender a arte de sonhar com os xamãs nativos"

    LER MAIS
  • Não tenho nenhuma esperança de que o Governo Bolsonaro ainda se empenhe em transmutar sua visão a respeito da Amazônia. Entrevista com Dom Erwin Krautler

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: André | 17 Janeiro 2013

Uma conta aberta pelo Instituto para as Obras de Religião (IOR) em um banco alemão e pela qual circularam em um ano 40 milhões de euros, cuja procedência está sendo investigada, levou o Banco da Itália a bloquear o uso de cartões de crédito no Vaticano, informa o jornal italiano Corriere della Sera.

A reportagem está publicada no sítio espanhol Religión Digital, 14-01-2013. A tradução é do Cepat.

O jornal italiano assinala que o bloqueio do uso de cartões de crédito internacionais no Vaticano desde o dia 1º de janeiro passado atinge 80 estabelecimentos comerciais dentro do pequeno estado (Museus, farmácias, supermercados, lojas de lembranças, etc.), que veem as vendas despencarem, já que só se pode pagar com moeda.

Segundo a Autoridade de Informação Financeira (AIF) do Banco da Itália – garante o jornal – todos os pagamentos feitos nesses 80 pontos de vendas confluem numa única conta aberta pelo IOR, conhecido como o Banco do Vaticano, em uma agência do Deutsche Bank alemão.

O IOR, precisa o jornal, não pediu autorização ao Banco da Itália para a instalação dos pontos de vendas (os dispositivos eletrônicos) e há um ano e meio um grupo de magistrados italianos, dirigidos pelo promotor adjunto Nello Rosi, informou sobre essa anomalia ao Banco da Itália.

Em setembro de 2011, o IOR pediu essa autorização. O Banco da Itália ordenou uma inspeção e em 11 de setembro havia um saldo de quase 10 milhões de euros.

A documentação controlada evidenciou que por essa conta circularam nos últimos 12 meses mais de 40 milhões de euros, “dinheiro sobre o qual não se sabe praticamente nada”, assinala o jornal.

“O problema é sempre o mesmo: não se conhece o titular efetivo do depósito e, sobretudo, quem tem poder para operar essa conta e por isso não se pode aplicar as normas contra a lavagem de dinheiro”, destaca o jornal.

No momento, desconhece-se o tempo que o bloqueio poderá durar para o uso de cartões eletrônicos, que, segundo a imprensa italiana, não deverá ser curto.

Podem ser usados apenas os cartões emitidos pelo IOR, utilizados pelo pessoal do Vaticano. Segundo informou há vários dias o porta-voz do Vaticano, o jesuíta Federico Lombardi, trata-se de um “problema técnico” e que se espera que a interrupção dos pagamentos com cartões de crédito seja breve.

Em 30 de dezembro de 2010, Bento XVI aprovou uma lei para lutar contra a lavagem de dinheiro nas instituições financeiras do Vaticano, com o objetivo de entrar na chamada “lista branca” de Estados que respeitam as normas para a luta contra a lavagem de dinheiro.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Uma conta secreta do IOR em um banco alemão provocou o bloqueio de cartões no Vaticano - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV