Desperdício e perda de alimentos. Impactos sociais, econômicos e ambientais

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • Arcebispo brasileiro é atacado por liderar ''infiltração esquerdista'' na Igreja

    LER MAIS
  • A radical visão teológica do Papa Francisco

    LER MAIS
  • O surgimento dos ''cismáticos devotos'' na Igreja Católica. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

01 Setembro 2014

Em maio deste ano, realizou-se, na Unisinos, o XV Simpósio Internacional IHU tendo como tema “Alimento e nutrição no contexto dos Objetivos do Milênio”.

O evento inspirou e suscitou o tema de capa da revista IHU On-Line desta semana, pois a perda e o desperdício de alimentos implicam em enormes impactos sociais, econômicos e ambientais, como atestam os pesquisadores que participam do debate travado nas páginas desta edição.

Altivo de Almeida Cunha, consultor do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD e da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura - FAO/ONU para o tema abastecimento alimentar, debate os prejuízos decorrentes do desperdício, os quais afetam todos os elos da cadeia alimentar, mas atingem de forma mais acentuada a população em situação de vulnerabilidade social.

Paulo Waquil, professor associado na Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS, analisa o impacto ambiental do desperdício, o papel do Estado no enfrentamento da situação e as possibilidades de mudança de comportamento da população no que diz respeito ao consumo de alimentos.

Alfons López Carrete, ativista da associação catalã Espai Ambiental e um dos desenvolvedores da campanha “De menjar no en llencem ni mica” (em português, “De comida não se joga nada fora”), discute a importância da educação ambiental para o aproveitamento integral dos alimentos e a necessidade de adoção de uma nova postura, voltada para a sustentabilidade e a conservação da vida no planeta.

A sustentabilidade socioambiental no contexto de uma outra motivação política e econômica e a consequente priorização de valores coletivos em detrimento dos valores individuais hegemônicos em nossa sociedade são abordadas por Patrícia Barbieri, gerente geral da Associação Prato Cheio, de São Paulo - SP.

Celso Luiz Moretti, chefe do Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa e professor convidado do Departamento de Horticultura da Universidade da Flórida, Estados Unidos, avalia a relação entre qualidade dos alimentos, conscientização sobre o uso adequado de fertilizantes, água e agrotóxicos e a redução do desperdício.

Walter Belik, professor livre-docente pelo Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas - Unicamp, analisa as tentativas de medição do desperdício no Brasil e alerta para o fato de que as pesquisas realizadas sobre o assunto no país não seguem metodologias apropriadas à sua realidade.

Dois textos de José Esquinas, que trabalhou durante 30 anos na FAO, originalmente publicados em espanhol, cedidos pelo autor quando da sua presença aqui na Unisinos para serem publicados em português, ampliam o debate. “O carrinho de compras deve ser transformado em carro de combate”, advoga o ex-funcionário da FAO, pois, constata que “jogamos fora 30% dos alimentos que compramos, metade sem nem abrir o pacote”.

Aliás, é o que mostra a instigante reportagem sobre o desperdício de alimentos, com informações sobre os restaurantes localizados no campus da Unisinos, as opiniões dos frequentadores e os depoimentos de Anita Gutierrez, presidente do Instituto Brasileiro de Qualidade em Horticultura - HortiBrasil, e do agricultor José Francisno Klein, dedicado à produção orgânica de alimentos.

Completa esta edição a entrevista “A técnica é realização plena da hipertrofia da razão moderna”, com Celso Candido de Azambuja, professor na Unisinos, sobre o livro Psique e Techne – O homem na idade da técnica, de Umberto Galimberti.

Umberto Galimberti proferirá a conferência de abertura do XIV Simpósio Internacional Revoluções Tecnocientificas, culturas, indivíduos e sociedades. A modelagem da vida, do conhecimento e dos processos produtivos na tecnociência contemporânea, a ser realizada no dia 21 de outubro de 2014.

A revista IHU On-Line estará disponível no portal do IHU, na segunda-feira, a partir das 17h, nas versões html, pdf e 'versão para folhear'.

A edição impressa circulará no campus da Unisinos, a partir das 8h, no campus da Unisinos.

A todas e a todos uma boa leitura e uma excelente semana!

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Desperdício e perda de alimentos. Impactos sociais, econômicos e ambientais - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV