Igreja Ortodoxa respalda embargo de Putin às importações ocidentais

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Rio Grande do Norte. Seridó ameaçado

    LER MAIS
  • Arcebispo de Ribeirão Preto visita no hospital a Dom Pedro Casaldáliga, “um ícone no Brasil”

    LER MAIS
  • Francisco nomeia seis mulheres para grupo que supervisiona as finanças vaticanas

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


19 Agosto 2014

A Igreja Ortodoxa da Rússia acolheu a proibição imposta pelo presidente Vladimir Putin relativa a alimentos importados como uma possibilidade para que os russos rejeitem os “padrões ocidentais de consumo”.

A reportagem é de Jonathan Luxmoore, publicada pelo The Tablet, 15-08-2014. A tradução é de Isaque Gomes Correa.

“Precisamos aprender sobre a moderação e o autocontrole; precisamos ser capazes de vivermos com pouco”, disse Dom Vsevolod Chaplin, chefe do Departamento Sinodal para a Cooperação entre Igreja e Sociedade. “Finalmente chegou a hora de escolhermos entre o ocidente e a Rússia, entre um futuro livre e independente para o nosso povo, ou uma situação em que seguimos os comandos de Washington, Bruxelas e Wall Street em vez de ouvirmos as vozes de nossos compatriotas”.

O religioso estava falando depois que o presidente Putin impôs um embargo às importações de alimentos dos Estados Unidos e países membros da União Europeia os quais, anteriormente, tinham apertado as sanções sobre os setores energéticos, de defesa e bancário da Rússia no início da crise com a Ucrânia. Chaplin disse à agência noticiosa Interfax que o embargo era uma resposta legítima “às ações discriminatórias” do ocidente e que isso ajudaria os cidadãos russos a pararem de “seguir os padrões dos consumidores ocidentais”.

Vladimir Putin anunciou o embargo no último dia 6, citando “interesses nacionais”. A mídia local anunciou que a medida irá impulsionar a indústria alimentícia nacional do país, que importa 40% dos alimentos, porém acrescentou que negociações estavam também sendo feitas para se aumentar o comércio junto aos países da América Latina.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Igreja Ortodoxa respalda embargo de Putin às importações ocidentais - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV