12 de julho de 2000 - Diretor de faculdade jesuíta é morto a tiros na Índia

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • Santa Teresa de Jesus: inquieta, andarilha, desobediente e muito mais...

    LER MAIS
  • COP26. Kerry reduz as expectativas sobre a cúpula de Glasgow: “Rumo a compromissos ainda insuficientes para alcançar…”

    LER MAIS
  • Diocese Anglicana no Paraná sagrará bispa coadjutora em Curitiba

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


15 Julho 2014

Há 14 anos, o padre Remis Kerketta, 47 anos, diretor da Faculdade São Xavier no distrito de Ranchi no estado de Bihar, na Índia, foi encontrado morto à beira da estrada, num caso em que a polícia disse ser um acidente rodoviário.

A nota é publicada por Jesuit Restoration 1814, 12-07-2014. A tradução é de Claudia Sbardelotto.

O crescimento dos jesuítas e o seu apostolado na Índia é uma das grandes bênçãos da Companhia de Jesus desde a Restauração.

Atualmente, existem mais de 16 províncias na Índia com mais de 3.000 jesuítas que administram uma enorme rede de universidades, colégios, paróquias, casas de retiro e inúmeras outras obras.

O apostolado educacional atinge muitas áreas pobres e esquecidas da Índia, com muitos jesuítas trabalhando com tribos e com os dalits, também conhecidos como os "intocáveis". Este trabalho com os mais pobres e excluídos é controverso. Em um país com tantas tradições religiosas, algumas mais antigas que o cristianismo, o desejo de compreender as outras religiões e os esforços para a inculturação são particularmente importantes.

Com tantos jesuítas que trabalham com a educação dos pobres, na linha de frente, muitas vezes, eles são expostos ao ciúme, à corrupção e à resistência daqueles que desejam preservar o status quo.

Há 14 anos, no dia 12 de julho de 2000, o padre Remis Kerketta, 47 anos, diretor da Faculdade São Xavier no distrito de Ranchi no estado de Bihar, foi encontrado morto à beira da estrada, num caso em que a polícia disse ser um acidente de viação. Uma autópsia inicial, no entanto, verificou uma história diferente, o que levou à suspeita de jogo sujo. De acordo com o relatório preliminar da autópsia, o "córtex cerebral da vítima foi perfurado por uma bala".

Outro missionário jesuíta em Ranchi questionado se o caso poderia ter sido apenas um roubo, afirmou que os ladrões que roubam motos "não matam pessoas. Eles apenas apontam uma pistola e levam a moto".

O bispo Stephen Tiru de Khunti presidiu a missa fúnebre no dia 13 de julho de 2000 na catedral. O padre Kerketta trabalhou toda a sua vida na diocese de Khunti. Sua vida foi dedicada ao serviço dos pobres e às tribos Munda.

O estado de Bihar é conhecido na Índia por ser economicamente subdesenvolvido e educacionalmente atrasado. Em tempos passados, foi um reconhecido lugar de prestígio por sua cultura e aprendizagem. O Bihar moderno tem uma infra-estrutura educacional manifestadamente insuficiente, criando um enorme descompasso entre a oferta e a procura. Esse problema fica ainda mais agravado pelas crescentes aspirações do povo e um aumento da população. O desejo por um ensino superior entre a população em geral de Bihar levou a uma migração maciça da comunidade estudantil do estado. A presença dos jesuítas em tal área é um poderoso testemunho.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

12 de julho de 2000 - Diretor de faculdade jesuíta é morto a tiros na Índia - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV