''Padre Dall'Oglio está vivo, nas mãos da Jihad''

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • A fé do Brasil dividido

    LER MAIS
  • Núcleo de pesquisa da USP publica nota sobre criacionismo defendido por novo Presidente da CAPES

    LER MAIS
  • A nova teologia do Ecoceno. Entrevista com Leonardo Boff

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

23 Abril 2014

O padre Paolo Dall'Oglio, sequestrado no dia 27 de julho de 2013 no arredores de Raqqa, no norte da Síria, "está vivo e nas mãos dos milicianos do Estado Islâmico do Iraque e do Levante", o Isis. A afirmação é de fontes do Exército Livre Sírio (ELS), a oposição armada contra o regime sírio, depois da libertação de quatro jornalistas franceses que supostamente foram sequestrados em junho passado na Síria por militantes al-qaedistas do Isis.

A reportagem é de Virginia Lori, publicada no jornal L'Unità, 22-04-2014. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Há meses, estão ocorrendo contatos em vários níveis na Síria e no exterior para a libertação do padre Dall'Oglio, o jesuíta italiano desaparecido no norte da Síria no fim de julho de 2013. A informação é de fontes próximas às negociações, que pedem o anonimato e especificam que, há duas semanas, "houve notícias reconfortantes sobre o estado de vida de Dall'Oglio", mas que "não havia e não pode haver nenhuma certeza absoluta sobre isso, dada a dificuldade de penetrar a estrutura que o mantém prisioneiro".

O Ministério das Relações Exteriores italiano, entretanto, pede que se mantenha a máxima confidencialidade sobre o sequestro do jesuíta depois a notícia, que circulou na manhã dessa segunda-feira, 21, que informava que ele ainda estava vivo e nas mãos dos milicianos do Estado Islâmico do Iraque e do Levante. O Ministério das Relações Exteriores não confirmou nem desmentiu, e assegurou que a unidade de crise continua.

O missionário desapareceu no norte da Síria no dia 27 de julho de 2013. O padre Dall'Oglio, 59 anos, é um jesuíta romano que, por 30 anos, viveu na Síria até a sua expulsão no verão de 2012, expulsão que lhe foi decretada pelo regime depois de tomar posição em favor do plano de paz do então enviado especial da ONU à Síria, Annan. O padre Dall'Oglio viveu e trabalhou no seu país de adoção em nome do diálogo islâmico-cristão. Na Síria, o jesuíta fundou a comunidade monástica de Mar Musa, ao norte de Damasco.

Dall'Oglio estaria sendo mantido em cativeiro no norte da Síria por um ramo do Isis, formação al-qaedista hostil à insurreição antirregime. "Estamos certos de que Dall'Oglio está vivo e se encontra em uma das prisões do Estado Islâmico no norte da Síria. Por motivos de segurança, não revelaremos onde ele se encontra", reiteraram as fontes. As fontes do ELS confirmam que, "segundo as informações em nossa posse, não estão em andamento negociações para a libertação do jesuíta italiano".

"Não temos nenhuma notícia de Paolo há meses": é assim que Immacolata Mauri, irmã do padre Dall'Oglio, comenta o boato que circulou informando que o seu irmão está vivo. "Eu também li essa notícia, mas confirmo que nós não temos notícias", disse a irmã do jesuíta.

Dall'Oglio é conhecido por ser contrário ao regime de Damasco, tanto que foi expulso no ano passado. Abertamente inclinado contra Assad, Dall'Oglio tentava fazer a sua contribuição para uma solução pacífica ao conflito.

Nota: A fonte da imagem é Ansa.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

''Padre Dall'Oglio está vivo, nas mãos da Jihad'' - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV